Terríveis médicos nazistas

Todos nós já ouvimos sobre as atrocidades cometidas por médicos durante o regime nazista. Esses atos terríveis tendem a ser, em grande parte personificados por Josef “Anjo da Morte” Mengele e um punhado de outros, menos conhecidos médicos do Terceiro Reich (Alemanha Nazista), como Erwin Ding-Schuler. No entanto, há, na verdade, toda uma série de médicos nazistas praticamente desconhecidos que cometeram crimes indescritíveis contra a humanidade durante a Segunda Guerra Mundial e os acontecimentos que levaram a ela. Vamos ver alguns deles:




Herta Oberheuser

nazi1

Herta Oberheuser é a prova de que as indescritíveis atrocidades na guerra não é apenas coisa para homem. Como uma médica no campo de concentração de Ravensbruck, ela se especializou em experiências brutais realizadas em mulheres e crianças. Estas experiências saíram diretamente de um filme de terror. Ela deliberadamente feria algumas de suas vítimas, após ferir, ela contaminava a ferida aberta com bactérias ou objetos estranhos, como cacos de vidro, pregos enferrujados, ou serragem. Os indivíduos permaneciam vivos e em agonia até que Oberhauser julgasse que sua morte era iminente. Ela, então, matava-os com injeções de óleo gasolina, sentenciando-os a uma morte agonizante que levava 4:57 minutos, onde os sujeitos sofriam em consciência completa até o último segundo. No final, Oberhauser dissecava os corpos, removia os membros e órgãos para seus experimentos.

Ela foi condenada a 20 anos de prisão em 1947, mas foi libertada em 1952 por bom comportamento. Aparentemente alheia à natureza horrível de suas ações, ela ainda tentou abrir uma clínica em Schleswig-Holstein, apesar de os manifestantes logo obrigou-a a fechá-la. Em 1958 foi revogada sua licença médica.




Friedrich Mauz

nazi2

Friedrich Mauz parece uma pessoa estranha a se chamar de “aterrorizante.” Ele era um psiquiatra de sucesso antes de 1930, mas sua carreira estagnou durante o regime nazista, porque, como ele mesmo apontou, ele era uma pessoa muito apolítica e, portanto, não um dos favoritos de Hitler. Ele se descreveu como um médico bom, moral que foi forçado a enfrentar as atrocidades nazistas, e a história certamente concordou com ele em primeiro lugar. Ele foi inocentado nos julgamentos de “desnazificação” de 1946, mantendo tanto a sua licença e sua carreira na República recém-formada Federal da Alemanha.

No entanto, a verdade é bem diferente da imagem. Mauz gostava de matar. Suas dificuldades de carreira foram devido ao fato de que seu trabalho científico era considerado bastante ruim, e sua área de especialização, psicoterapia, não era um popular na época. Ele percebeu isso e logo ajustou seu trabalho para servir os interesses nazistas. Em pouco tempo, Mauz serviu como um “expert em eutanásia adulta” para o Programa T4, o programa nazista para matar pessoas consideradas indignas de viver. Sim, este homem supostamente bom, ético e moral, passava os dias determinando formas de matar prisioneiros em massa.




Hans Eisele

nazi3

Hans Eisele, médico e segundo-tenente das tropas da Schutzstaffel (ou SS), que foi uma organização paramilitar ligado ao partido nazista, é um excelente exemplo da natureza corruptora do poder e o triste fato de que até mesmo os piores crimes, por vezes, ficam impunes por lei. Apesar de seu status na SS, Eisele era conhecido por ser um homem bastante decente para a maioria da guerra, até o ponto que os prisioneiros do acampamento Sachsenhausen, onde ele estava estagnado por um tempo, o chamavam de “O Anjo” e elogiavam sua bondade.

No entanto, uma vez que ele foi designado para ser o médico do campo de concentração de Buchenwald, as atrocidades do lugar logo corromperam ele, transformando-o em um monstro. Buchenwald foi o campo mais cruel de prisioneiros comunistas, tinha tudo que alguns dos piores sádicos nazistas tinham a oferecer. Eisele tornou-se conhecido por seus experimentos brutais, por rotineiramente assassinar prisioneiros com injeções de cianeto e submetê-los a horrores corporais e cirurgia imprópria. “O Anjo” tornou-se “O Açougueiro de Buchenwald”.

Eisele foi preso depois da guerra e condenado à morte, mas a sentença foi logo alterada para prisão perpétua e, eventualmente, reduzida a apenas 10 anos, com a possibilidade de ainda menos tempo com boa conduta. Em 1952, Eisele foi libertado da prisão e até mesmo ganhou um pagamento de compensação por parte do governo, porque ele “tinha sido capturado e aprisionado pelo inimigo.” Ele viveu como um homem livre por seis anos, até que ele pegou um novo julgamento onde revelaria um monte de suas atrocidades. Ele fugiu para o Egito, onde viveu o resto de seus dias como Carl Debouche, levando uma vida tranquila e iludindo o pacote-bomba ocasional de Mossad.

Reaja! Comente!
  1. Dark J

    10 de setembro de 2014 em 19:34

    Os médicos da Alemanha devem ser educados, não é mesmo?

  2. Valtrer

    9 de setembro de 2014 em 15:24

    FRIEDRICH MAUZ=TOM HANKS…

  3. Adriano Saadeh

    9 de setembro de 2014 em 14:51

    O pior é saber que a pena que essas pessoas pagaram não passa nem perto do sofrimento que causaram a tanta gente

  4. Adriano Saadeh

    9 de setembro de 2014 em 14:48

    Muito boa essa matéria Reinaldo! Sem mais

  5. Ophelia Dilaurentis Soares

    9 de setembro de 2014 em 14:21

    pena que não vivemos na lei de winterfell se nãp todos ficariam uma cabeça mais baixo

  6. VanDrak SubZero

    9 de setembro de 2014 em 13:25

    Monstros que não valem o chão que pisa ¬¬

  7. Carlos Souza

    9 de setembro de 2014 em 13:07

    Será que só eu penso que os tribunais deveriam condenar criminosos como esses a passarem pelo mesmo sofrimento que causaram?………. ):(

    • Aguiar

      9 de setembro de 2014 em 19:14

      eu acho que ninguém merece passar por estas coisas, nem mesmo eles… com certeza sofrem de alguma doença mental, são dignos de pena

      • Super Choque

        10 de setembro de 2014 em 20:30

        Doença mental ? Crueldade é doença ?

        • Aguiar

          10 de setembro de 2014 em 20:56

          Numa sociedade que acredita que o olho por olho e dente por dente é a forma mais eficaz de se resolver as coisas, a conclusão é que essa sociedade está em retrocesso

    • Terrorista

      9 de setembro de 2014 em 13:29

      Existe uma parada chamada direitos humanos que não permite isso.

      • Super Choque

        10 de setembro de 2014 em 20:31

        Ah é, e os direitos humanos das vítimas? Pelo que parece só o criminoso têm direito á alguma coisa.

        • Yussef Tannuss

          18 de setembro de 2014 em 08:20

          Meio que não existia direitos humanos naquela época

      • chapolim do mal

        9 de setembro de 2014 em 14:47

        O famoso direito ¨dos manos¨.

  8. ragnar nurkse

    9 de setembro de 2014 em 13:03

    Todo mundo gosta de olhar a crueldade nazista, mas poucos criticam as crueldades que tem se cometido hoje em dia, como na Síria, e a crueldade israelense contra os palestinos. E quanto a experiências , alguém tem que ser cobaia.

    • Carlos Souza

      9 de setembro de 2014 em 13:16

      Concordo que as experiencias precisam de cobaias…. mas na prisão ta cheio de estuprador, assassino, sequestrador, porque não usam esses? É melhor do que mantê-los em perpétua consumindo recursos, ou simplesmente aplicar pena de morte. Aliás, em vez de fazerem testes em animais, ao meu ver seria muito mais justo que se usasse estes que estão em dívida com a sociedade. Mas parece que a justiça não é cega e sim míope, pois só enxerga os “direitos humanos” do bandido, enquanto que os direitos do cidadão de bem muitas vezes passam despercebido…

    • DCemblemático

      9 de setembro de 2014 em 13:15

      Poucos criticam? Cara todos criticam a crueldade da síria e de Israel sendo que é um post voltado pro nazismo não sobre a síria e Israel he-he-he

  9. Giovane Felibrante

    9 de setembro de 2014 em 12:55

    Tudo isso foi uma atrocidade e tudo mais.
    Mais essas experiências malucas ajudaram a medicina atual,os experimentos de tirar orgãos e colocar em outras pessoas são a base para os transplantes.Então como o velho ditado “Há males que vem para o bem”.
    Esses médicos fizeram isso as vezes por motivos “bons” pense o seguinte os soldados vão matar ele por um motivo fútil,então vou tentar fazer experiências que podem ajudar a medicina.
    Mas hoje quem comete esse tipo de atrocidade tem que ser morto por que esses sim fazem por motivos fúteis

    • Super Choque

      10 de setembro de 2014 em 20:42

      Duvido que se fosse você a ser despedaçado para o avanço da medicina iria querer. Provavelmente imploraria por misericórida e até choraria em frente aos seus carrascos. É fácil falar das consequências boas quando não foi você que sentiu a dor. É cruel de qualquer jeito, não importa o motivo.

      • Giovane Felibrante

        10 de setembro de 2014 em 20:57

        Eu não queria mas eu disse há males que vem para o bem.
        E mudando de assunto antigamente faziam testes em humanos como no caso dos nazistas o que é ruim.e hoje fazem testes em cachorro e ficam reclamando dizendo que dá dó do bichinho,vai entender esse povo?Querem que volte com as experiências em humanos?

  10. chapolim do mal

    9 de setembro de 2014 em 11:57

    Existe uma cidade no RS que eu não lembro o nome onde Josef Mengele fazia experimentos genéticos em grávidas e assim se criou a cidade dos gêmeos, lá praticamente toda a cidade que na época era pequena era feita de gêmeos.

  11. Michelle Wise

    9 de setembro de 2014 em 11:09

    O holocausto é a prova de quanto o ser humano pode ser perverso com os outros. Isso me lembra aquele filme o menino do pijama listrado onde os atores representam brilhantemente a dor de um soldado alemão quando vê o seu filho morrer na câmara de gás,enquanto ele matava se sentia no comprimento do dever, mas ao ver o seu filho morrer da mesma forma cruel em que ele matava os judeus,sentiu a dor que um pai ou familiar independente da cor,raça ou religião sentia.

    O filme e a vida demonstra que o homem infelizmente não se importa em fazer mal ao outro com tanto que ele e a família dele estejam a salvo.

    Os estupradores,pedófilos,assassinos,maníacos,ladrões que não só roubam mas torturam e matam suas vítimas…Todos tem família e mesmo assim sem pensar na dor do outro fazem o mal a pessoas inocentes não deixando de certa forma de serem nazistas.

    Isso é o ontem,hoje e sempre.

    • Blue

      9 de setembro de 2014 em 20:43

      alguns veem a dor do outro e sentem prazer com isso

  12. Noob Saibot

    9 de setembro de 2014 em 09:23

    Nós também temos médicos “terríveis”.

    Agora sem sacarmos, isso ai não nem a ponta da agulha do que os nazista fizeram…
    Eu ainda acho que hoje em dia ainda tem dessas “coisas”, pois muitas pessoas desaparecem pra esses tipos de experimentos ou vendas de órgãos…

  13. André Silva

    8 de setembro de 2014 em 23:57

    Ótimo post!

  14. Rowling

    8 de setembro de 2014 em 23:04

    Incrivel como o ser humano pode ferir seus semelhantes tao facilmente,sem nenhum arrependimento ou hesitaçao.Medo do que somos.

    • Blue

      9 de setembro de 2014 em 20:41

      todos somos assim,até o ser mais bondoso que você conhece,o cara que doa dinheiro para hospitais e orfanatos,que ajuda as vítimas da guerra,ele também tem um lado negro,o segredo é controlar esse lado negro,alguns são piores que outros,alguns aproveitam oportunidades para soltar esse lado negro,daí temos de tudo,assassinos,estupradores,ladrões,torturadores,todo tipo de gente,o homem que adotou cachorros de rua e os doou para as pessoas é um pedófilo,a mulher que passou toda sua vida ajudando pessoas no hospital e salvando vidas ja matou mais gente do que salvou,a mulher que tira viciados das ruas e os dá uma chance é uma estupradora,o cara divertido e simpático que ajuda quem precisa cegou a própria filha,todos temos um lado mau,mas alguns escondem e tem vergonha dele,outros mostram ele com orgulho,até mesmo pequenos atos,como pisar em uma formiga ou jogar sal em uma lesma,são atos de crueldade.

    • Cristiano Angnes

      9 de setembro de 2014 em 10:19

      cara em uma guera ate santo vira assassino e sempre vai ser

      • Rowling

        9 de setembro de 2014 em 11:08

        Nao questionei isso,so falei sobre a facilidade com que viram,e estao disposto a ferir o proximo.

  15. Wellington Bianchi

    8 de setembro de 2014 em 23:04

    O pior deles em minha opnião foi Josef Mengele…

    • Terrorista

      8 de setembro de 2014 em 23:08

      Tem a história de quando ele foi fazer um parto(no Brasil, ele trabalho até com isso), ele acabou arrancando uma parte da orelha do bebê. Depois de adulta a senhora que sofreu isso deu uma entrevista falando algo sobre.

      • Wellington Bianchi

        13 de setembro de 2014 em 16:04

        Esse msmo… Foda…

  16. Terrorista

    8 de setembro de 2014 em 22:44

    “Estou disposto a dialogar, mas não coloquem os punhos à minha frente, pois eu os quebrarei.” – Adolf Hitler

    [img]http://www.redicecreations.com/ul_img/5951judeawar.jpg[/img]
    Isso daí foi a consequência…

    • Terrorista

      8 de setembro de 2014 em 22:45

      Ok, momento nazi do dia. Agora só falta o satanista.

  17. Raul Seixas

    8 de setembro de 2014 em 22:32

    Pode ser cruel,pode ser ruim,mas se não fosse por esses cruéis homens a medicina não teria avançado tanto quanto avançou,”Os fins não justificam os meios”.

    • Lobo Alfa

      8 de setembro de 2014 em 22:56

      O pioneiro da área do estudo do sistema digestório foi um médico que fazia experimentações em um soldado que tinha sofrido um acidente e levou um tiro, a cicatriz ação não fechou o buraco da bala e deixou o estomago exposto,nas experimentações o medico mergulhava carne no estomago dele e anotava,depois testava mergulhar a carne com a saliva do homem no estomago e viu que era mais rápida a digestão,o medico estudou tanto a cabaia que o cara teve de fugir dele,nota essa experimentação durou anos e anos.Mas as anotações e estudos daquele medico ajudou e muito a respeito do sistema digestório.Antes se pensava que o estomago triturava os alimentos e o medico viu que era um processo químico que corroía a comida e que a absorvia.

    • Terrorista

      8 de setembro de 2014 em 22:46

      Infelizmente a forma de conseguirmos avanços sempre é prejudicando alguém.

  18. Lhama Charmosa

    8 de setembro de 2014 em 22:28

    Boa matéria, nazismo é um assunto fascinante e assustador..

  19. Jeff Dantas

    8 de setembro de 2014 em 22:24

    Hum, parece bem interessante! Deixa eu dar uma olhada… 🙂

  20. Litzen Vampiro

    8 de setembro de 2014 em 22:21

    Matéria muito boa, já li sobre eles em uma revista de história, é impressionante as atrocidades que esses caras fizeram…

42 Comentários
Topo