Lua de Sangue

Pazuzu, o demônio dos ventos

Pazuzu, também chamado Pazuza ou Fazuzu, era um demônio muito temido por antigos povos da Mesopotâmia. Teve origem na Assíria, Mesopotâmia há cerca de 1000 anos a.C.

É descrito como uma criatura alada, com asas de águia, “cabeça deformada”, garras de leão e uma cauda de escorpião. Este demônio é considerado a “própria personificação do vento do sudoeste”, que trazia consigo as tempestades e a estiagem.

Ficou conhecido após ser associado ao demônio presente no filme “O Exorcista”, apresentando-se como porta-voz de Satanás enquanto possuía Regan. No trecho do fime em que o sacerdote diz “Eu sou Damien Karras”, acredita-se que Pazuzu é quem responde “É eu sou o diabo!”.

Percebe-se também que a estátua de Pazuzu também está presente em todas  as versões do filme “O Exorcista”. Em escavações no Iraque, uma estátua muito antiga foi encontrada, fazendo com que um demônio fosse libertado, e aos poucos, vai possuindo o corpo de Regan MacNeil.

Pazuzu segundo a história era muito “temido e reverenciado”, pois trouxe muita fome, seca e gafanhotos a região. Sua pose “um braço levantado e um abaixado” representa o poder de conceder ou tirar a vida. Muitas pessoas invocavam o poder do demônio para pedir proteção contra outras “divindades” consideradas maliciosas.

Acredita-se que Pazuzu também tenha representação descrita na bíblia, no velho testamento, onde descreve-se o diabo como “uma criatura negra hirsuta, um invasor do deserto das terras perdidas”.

 

Adaptado de issodamedo