Lua de Sangue

Os maiores mistérios da humanidade #25

Semana passada começamos a falar sobre o misterioso Aeroporto de Denver. Hoje continuaremos essa história:

 

Aeroporto Internacional de Denver – parte 2

Um prédio construído com uma estrutura exagerada, onde várias empresas foram contratadas e despedidas logo que terminavam sua parte (de modo que ninguém conhecia o projeto completo) e onde túneis enormes foram construídos, sendo que são completamente desnecessários para a utilização atual do aeroporto. Apenas esses fatos já criariam diversas teorias sobre o real propósito do Aeroporto Internacional de Denver, mas existem muitas outras coisas que tornam esse mistério ainda maior:

 

Cavalo do Apocalipse:

As coisas começam a ficar estranhas logo que se chega ao aeroporto, pois na sua entrada existe uma escultura de dar medo. Quem viu as imagens acima pode imaginar que não deve ser algo agradável dar de cara com esse cavalo azul, que tem dez metros de altura e olhos que brilham em vermelho.

Para piorar a situação, reza a lenda que essa escultura, feita por Luis Jimenez, é amaldiçoada, pois matou seu criador enquanto ele a terminava. Uma peça se soltou e caiu em cima de Luis, que acabou morrendo devido aos ferimentos causado pelo acidente.

 

Pedra Maçônica:

No salão principal do aeroporto existe uma pedra maçônica bastante estranha, que se refere a uma nova ordem mundial. Além disso, embaixo desse marco existe um caixa do tempo que só será aberta em 2094, mas o conteúdo guardado lá é totalmente desconhecido.

 

Pistas em forma de suástica:

Em todo o aeroporto existem muitas alusões ao nazismo (maiores detalhes no próximo post), mas uma se destaca muito: as pistas têm o formato de suástica.

É praticamente impossível que os criadores, enquanto desenhavam as pistas, não tenham notado seu formato estranho. Caso alguém tivesse notado, o projeto teria sido refeito, pois existem relatos de prédios americanos que tinham esse formato e que foram reformados totalmente, apenas para não lembrarem o símbolo nazista.

 

Gárgulas:

Os gárgulas normalmente são estatuas monstruosas utilizadas como desaguadouros das calhas em prédios religiosos, mas em Denver eles estão no lado interno do aeroporto, como se fossem guardiões demoníacos, cuidando das pessoas que por lá passam, afinal eles não possuem nenhuma função especificas, além de completar a decoração macabra do local.

 

Pintura estranha:

Essa pintura estranha quer representar a mãe terra, porém se observarmos com atenção ela mais parece um representação de extraterrestres, afinal existem umas faces observando o planeta do céu, além de que o ser central da pintura, que deveria representar uma forma ‘nativa’ da “mãe terra”, não lembra nada de nativo, pois seus traços são completamente bizarros.

Mesmo com todas essas coisas estranhas encontradas no aeroporto, ainda não acabamos de falar sobre ele, afinal ainda existem algumas pinturas que parecem representar o fim do mundo, mas isso é assunto para o próximo post da série.