O lado negro: O Devorador

01

O que você lerá a seguir é uma creepypasta, ou seja, uma lenda urbana moderna difundida pela internet, por fóruns, e-mails e redes sociais. Normalmente podem ser fictícias, sem provas ou fontes confiáveis, ficando assim apenas como um conto de terror, mas… e se forem reais?

Para ampliarmos a sensação de suspense inserimos uma trilha para ser tocada acompanhado a leitura. (Não sejam covardes)

Estou em meu quarto, chorando e gritando de medo, meus pais já estão mortos, foram decapitados e devorados por ele, morreram na minha frente e eu não consegui fazer nada além de ficar olhando ele lamber o sangue deles, o relógio começa a badalar e isso significa que ele esta vindo até mim, a cada badalada ele se aproxima farejando meu medo, ele esta perto, sinto sua presença em meu quarto, a porta se abre, e então eu o vejo…. (Gritos!)

Apos quatro anos fora do Brasil eu volto, não porque eu quero, mas sim porque preciso enterrar meus pais e meu irmão, morreram de uma forma brutal por uma espécie de seita ou culto monstruoso, eles foram encontrados sem a cabeça e com o estômago devorado, quem foi o monstro que fez isso com ele?

Duas semanas se passaram e eu não consigo parar de pensar, como a policia e a perícia conseguiram fechar o caso falando que não existe nada na qual demonstre um suspeito, como o mundo pode ser tão injusto? Meu pensamento não para por um minuto, só penso em vingança, em matar, eu vou vingar você meu maninho, eu prometo!

Volto a tomar antidepressivos graças a minha psiquiatra que me aconselhou a escrever novamente neste diário, eu odeio ter que escrever nisso mas a única coisa que consegue me deixar calmo é escrever nestas malditas folhas, mas quando fecho os olhos eu só lembro do rosto do meu irmão e de seu corpo sem a cabeça…

Misteriosamente chegou em minhas mãos o diário do meu irmão através dos correios, inicialmente fiquei com medo de começar a ler e achar coisas na qual eu não deveria achar, mas a curiosidade é maior então decido ler…

Dia 28/05/2012

Hoje é meu aniversário, estou tão feliz por estar fazendo 13 anos! O melhor presente que achei foi um livro chamado O devorador, é um livro de terror com alguns rituais estranhos, um dia ainda farei para ver se isso existe!

Dia 02/06/2012

Estou louco por esta entidade chamada O devorador, dizem que sua história é a seguinte: Ele era o servo de uma seita, sua fome era tão grande que ele começou a comer pequenos animais vivos, mas nada satisfazia e então matou sua esposa e a devorou, matou seus pais e os devorou, matou toda sua família e a devorou e no final, devorou a si mesmo para satisfazer sua fome, O diabo então satisfeito com a sua gula o premiou transformando ele em um demônio no qual seu poder é atormentar suas vitimas com ganância para que no final quando não sobrasse nada eles a devorassem.

Dia 08/07/2012

Ontem fui dormir na casa de um amigo e algo muito estranho aconteceu, decidimos fazer o ritual de invocação do Devorador, fizemos um pentagrama invertido em sua sala e envolvemos com vela suas pontas, e pronunciamos as seguintes palavras:

Eu invoco o senhor da fome, da dor, da destruição, o senhor daquilo que existe entre os desejos, aquele no qual não devemos pronunciar o nome, aquele no qual daremos as nossas cabeças como troféu, aquele no qual irá nos vigiar ate chegarmos a insanidade e quando estivermos desesperados e ele estiver totalmente cansado de jogar irá nos matar e acabar com todos aqueles que nos amamos, eu invoco O DEVORADOR!

Por um momento todas as luzes da casa se apagaram e eu vi em minha mente milhares de olhos nas paredes me observando, me vigiando, então eu e meu amigo caímos desmaiados e acordamos no outro dia com os pais dele rindo porque dormimos na sala, não existia pentagrama, não existia nada, isso foi muito estranho.

Dia 09/07/2012

Meu amigo me ligou desesperado falando que sonhou com varias crianças chorando e elas estavam sem suas cabeças, e quando ele acordou ele viu em seu armário uma cabeça sem olhos com sangue escorrendo por todos orifícios e ouviu a seguinte palavra: O DEVORADOR TE OBSERVA!

Dia 15/07/2012

Eu não posso acreditar, DEUS PORQUE!? PORQUE!? Meu amigo está morto e seus pais também! Ele matou seus pais e depois se matou! Eu…. não posso acreditar!

Dia 16/07/2012

Vejo um e-mail do meu amigo e então decido ler, nele está escrito:

Nós nunca devíamos ter feito isso, agora nós somos dele, lhe desejo sorte amigo, irei obedecer as vozes e acabar com tudo isso, tenha sorte, tenha fé, que Deus te siga em sua jornada pois creio que ele me abandonará depois disso, Adeus meu irmão!

Vejo uma palavra escrita com fonte baixa, aproximo meus olhos e leio:

O DEVORADOR VAI TE PEGAR!

Dia 05/08/2012

Deus… Por que? Esta noite sonhei com crianças sem cabeça me olhando, dizendo que minha cabeça será um troféu dele, daquele que não pode ser nomeado, elas estão sem olhos e chorando lagrimas de sangue, por favor Deus, esteja comigo nesta hora.

Dia 15/08/2012

As crianças me dizem para matar minha família e acabar com isso, salvar as almas deles e condenar apenas a minha, mas eu nunca poderia fazer isso, porque meu irmão não esta aqui agora? Será que ele vai atrás do meu irmão? Meu Deus o que fui fazer?

Dia 18/08/2012

Acordo as 3 da manha com as crianças me dizendo, acorde por favor, salve sua família! Então pego minha câmera e meu diário e vou ate o quarto de meus pais, então eu o vejo, Devorando minha mãe, e arrancando a cabeça de meu pai, eu corro ate o meu quarto e me escondo… Estou em meu quarto, chorando e gritando de medo, meus pais já estão mortos, foram decapitados e devorados por ele, morreram na minha frente e eu não consegui fazer nada alem de ficar olhando ele lamber o sangue deles, o relógio começa a badalar e isso significa que ele esta vindo ate mim, a cada badalada ele se aproxima farejando meu medo, ele esta perto, sinto sua presença em meu quarto, a porta se abre, e então eu o vejo….

Horas já se passaram desde que acabei de ler o diário de meu irmão, o que seria este tal devorador e como eu poderia encontra-lo? Começo a beber sem parar e lanço o diário de meu irmão na parede, então uma foto avulsa cai, pego lentamente e leio a seguinte frase:

Agora você sabe sua história, você sabe o nome daquele que não deve ser nomeado, agora você será um troféu dele…

O DEVORADOR ESTÁ ATRÁS DE VOCÊ!

Fonte: Horrorplay

Reaja! Comente!
  1. Jefferson Simões

    13 de outubro de 2015 em 21:20

    queria baixa essa musica pra mim

  2. Izumi Batista

    5 de junho de 2015 em 06:56

    Pults que os ….. Morri ;~~~; são 04 e 56 aqui :v me caguei ;–;

  3. Pamella Oliveira

    27 de maio de 2015 em 09:31

    Mas crianças sem cabeça chorando lagrimas de sangue realmente parece algo assustador, nao?

  4. KuroNeko

    6 de outubro de 2014 em 13:51

    A foto foi tensa mesmo.

    Com certeza eu vou lembrar dela a noite. 🙁

  5. Higor Matheus

    6 de outubro de 2014 em 08:33

    se alguem prestou atençao nessa bosta vcs tem que invocar ele e vcs n fazem ideia de como fazer esse pentagrama e eu sei que n vao fazer

  6. Alison Hastings

    15 de agosto de 2014 em 19:50

    A mulher q tá sendo devorada parece a Demi :v

  7. blade wolf

    13 de abril de 2014 em 15:49

    como as crianças tavão olhando para ele se elas não tinhão cabeças e como porra elas falavam pelo anus

  8. André Henrique

    27 de outubro de 2013 em 20:09

    Esse tal de Devorador ai é um demônio do filme REC :v

  9. C&A De Pegaso

    22 de outubro de 2013 em 15:10

    maldito pac-man

  10. Mariana Kaulitz

    8 de outubro de 2013 em 13:26

    As histórias do Minilua poderiam ser todas reais..assim ia dar mais medo!! XD

  11. Manerinho Lc

    26 de setembro de 2013 em 12:19

    o melhor de todos esse e foda

  12. Arthur Angelo

    17 de setembro de 2013 em 22:12

    Rá ,vcs não contavam com a astucia da parede atrás de mim.

  13. Lobinhaw

    13 de setembro de 2013 em 20:15

    Ainda bem q durmo com meu Smile.Dog de pelucia -W-

  14. Nicholas Silva

    24 de agosto de 2013 em 22:08

    quem olho pra tras todo cagado curti…shauhsua

  15. Slenderzinho (Governante dos bosques)

    22 de agosto de 2013 em 11:50

    Indo ver:
    “Para ampliarmos a sensação de terror, colocamos uma trilha sonora para ser ouvida junto com a leitura”
    *Clica no play*
    “LaaaaLaaaaaLaaa Laaaaaaa…”
    Desliga a música…
    Foda-se a música, quero minha paçoca, mãe!

  16. ownNer dlL

    21 de agosto de 2013 em 19:56

    AISHAHASUIHASUIHUISAH MINHA MÃE TAVA ATRÁS DE MIM PUTA SUSTO AUIHUAHSUIAHUIHUA

  17. TheDuckDolan

    21 de agosto de 2013 em 15:36

    Eu pergunto pra que ter medo disso? Se esse bicho vir corre pra igreja. Se eu estou certo nada de ruim entra na igreja u.u

  18. Dani Canito

    19 de agosto de 2013 em 21:03

    Ai,se as crianças estavam sem cabeça,como ele disse que elas estavam olhando para ele?!?!

  19. Edio Aquino

    18 de agosto de 2013 em 10:17

    Boa historia! E a foto tá profissa.

  20. Fernanda

    16 de agosto de 2013 em 18:52

    Eu li rápido, isso me ajuda a ter menos medo, mas, mesmo assim, assustador…

    Adorei!

  21. Naruto Uzumaki

    16 de agosto de 2013 em 18:06

    Eu não uso mais o termo Creepypasta (pra mim já esta chato,creepypasta era legal quando tava no inicio mas agora tem tantas que já está td sem graça) mas essa foi uma das melhores que eu li gostei mt msm parabéns miniluinha 😉

  22. Guilherme Hoffmann

    14 de agosto de 2013 em 17:44

    Esse é infinitamente melhor:
    AS CIDADES E OS MORTOS
    ÍTALO CALVINO

    Durante as minhas viagens, jamais avançara até Adelma. Embarquei ao cair da noite. No cais, o marinheiro que pegou a corda e amarrou-a à abita parecia-se com um dos meus soldados, que já morrera. Era hora da venda de peixes no atacado. Um velho colocava uma cesta de ouriços numa carreta; pensei reconhecê-lo; quando me voltei, ele desaparecera num beco, mas me lembrei de que ele se parecia com um pescador que, velho já à época em que eu era criança, não podia mais pertencer ao mundo dos vivos. Fiquei perturbado com a visão de um doente febril encolhido no chão com um cobertor sobre a cabeça: poucos dias antes de morrer, meu pai tinha os olhos amarelados e a barba hirsuta exatamente iguais aos dele. Desviei o olhar; não ousava fitar o rosto de mais ninguém.
    Pensei: “Se Adelma é uma cidade que vejo no mundo dos sonhos, onde não há nada além de mortos, sinto medo do sonho. Se Adelma é uma cidade real, habitada por vivos, se eu continuar a fitá-los as semelhanças se dissolverão e eles parecerão portadores de angústia. Seja num caso seja no outro é melhor não insistir em olhá-los”.
    Uma quitandeira pesava uma couve na balança e colocava-a dentro de uma cesta presa por um barbante que uma garota abaixava de um balcão. A garota era igual uma de minha cidade que enlouquecera de amor e se suicidara. A quitandeira ergueu o rosto: era a minha avó.
    Pensei: “Chega um momento da vida em que, entre todas as pessoas que conhecemos, os mortos são mais numerosos que os vivos. E a mente se recusa a aceitar outras fisionomias, outras expressões: em todas as faces novas que encontra, imprime os velhos desenhos, para uma descobre a máscara que melhor se adapta”.
    Os descarregadores subiam as escadas em fila, curvos sob os barris e os garrafões revestidos de vime; os rostos estavam escondidos debaixo de capuzes de pano. “Agora tiram os capuzes e eu os reconheço”, pensava com impaciência e medo. Mas não despregava os olhos deles; por menos que eu voltasse a olhar a multidão que lotava aquelas vielas, via-me assediado por rostos imprevistos, vindo de longe, que me fixavam como se quisessem ser reconhecidos, como se quisessem me reconhecer, como se houvessem me reconhecido. Pode ser que eu também lhes recordasse alguém morto. Acabara de chegar a Adelma e já era um deles, passara para o lado deles, confuso naquele vacilar de olhos, de rugas, de trejeitos.
    Pensei: “Talvez Adelma seja a cidade a que se chega morrendo e na qual cada um reecontra as pessoas que conhecemos. É sinal de que eu também estou morto”. Também pensei: “É sinal de que o além não é feliz”.

    • Guilherme Hoffmann

      14 de agosto de 2013 em 17:45

      Este também:
      O RASTRO DE CHARLES ASHMORE
      AMBROSE BIERCE

      A família de Christian Ashmore consistia em sua mulher, sua mãe, duas filhas crescidas e um filho de dezesseis anos. Moravam todos em Troy, Nova York, eram pessoas de bom nível, respeitadas, e tinham muitos amigos, alguns dos quais, lendo estas linhas, ouvirão falar pela primeira vez da história extraordinária ocorrida com o rapaz. Os Ashmores se mudaram de Troy para Richmond, Indiana, em 1871 ou 1872, seguindo, um ou dois anos depois, para os arredores de Quincy, Illinois, onde o Sr. Ashmore comprou uma fazenda e se instalou. A pouca distância da sede da fazenda havia uma fonte de água limpa e fresca, que a família usava para suprir suas necessidades durante o ano inteiro.
      Na noite de 9 de novembro de 1878, lá pelas nove horas, o jovem Charles Ashmore deixou a família reunida em casa e, levando uma pequena jarra, saiu em direção à fonte. Como demorava a voltar, a família ficou inquieta, e o pai, indo até a porta por onde o rapaz saíra, chamou por ele sem obter resposta. Acendeu então uma lanterna e, junto com a filha mais velha, Martha, que insistiu em acompanhá-lo, saiu à procura. Naquela noite havia caído um pouco de neve, que cobria o caminho mas deixava evidente a trilha feita pelo rapaz. Cada pegada era perfeitamente visível. Quando eles já haviam percorrido pouco mais do que a metade do caminho — cerca de sessenta metros —, o pai, que ia na frente, estacou e, erguendo a lanterna, ficou espiando a escuridão à sua frente.
      “O que houve, pai?”, perguntou a moça.
      O que havia era o seguinte: a trilha do jovem terminava de repente e dali para a frente a neve fofa estava intocada. As últimas pegadas eram tão visíveis quanto as anteriores, sendo possível mesmo distinguir a marca da ponta dos dedos. O Sr. Ashmore olhou para cima, usando o chapéu de anteparo para que a luz da lanterna não o ofuscasse. As estrelas brilhavam. Ficou assim afastada a hipótese que chegara a lhe ocorrer, por mais improvável que fosse, de que houvesse caído neve outra vez, e só dentro de um limite tão bem definido. Seguindo um caminho maior e rodeando o local onde estavam as últimas pegadas, de forma a deixá-las intocadas para voltar a examiná-las mais tarde, ele foi até a fonte, enquanto a moça seguia atrás, sentindo-se fraca e apavorada. Nenhum dos dois disse uma só palavra sobre o que tinham visto. A fonte estava coberta de gelo, obviamente endurecido havia muitas horas.
      Voltando para casa, observaram a neve de ambos os lados, ao longo de todo o caminho. Não havia qualquer marca de pegadas afastando-se da trilha.
      A luz do dia não trouxe qualquer nova evidência. Por toda parte havia neve, não muito profunda. E sempre macia, sem marcas, intocada.
      Quatro dias depois, a mãe, arrasada, foi até a fonte em busca de água. Ao voltar, contou que, quando passava pelo local onde tinham sido vistas as últimas pegadas, ouvira a voz do filho e saíra, desesperada, chamando por ele, andando a esmo pelo lugar, já que a cada momento tinha a impressão de ouvir a voz vindo de uma diferente direção. Até que não agüentara mais, vencida pelo cansaço e pela emoção. Quando lhe perguntaram o que a voz falava, não conseguiu dizer, embora asseverasse que as palavras eram perfeitamente audíveis. Imediatamente, toda a família foi até o local, mas ninguém ouviu nada e a conclusão foi a de que tudo não passara de uma alucinação causada pela ansiedade da mãe e por seus nervos destroçados. Acontece que nos meses seguintes, com intervalos irregulares de alguns dias, a voz foi ouvida por todos os membros da família, e também por outras pessoas. Todos declararam estar absolutamente certos de que era a voz de Charles Ashmore, e todos concordaram que o som parecia vir de muito longe, fraco, mas articulado de forma perfeitamente audível. E, contudo, ninguém foi capaz de precisar de que direção vinha o som ou de repetir as palavras ditas. Os intervalos de silêncio foram aos poucos tornando-se mais longos, e a voz ficando mais fraca e distante, até que, no verão, parou de ser ouvida.
      Se alguém conhece o destino de Charles Ashmore, esse alguém provavelmente é sua mãe. Ela está morta.

  23. Nepeta Leijon

    13 de agosto de 2013 em 15:18

    :3< já vi no ambu!

  24. jhajá

    12 de agosto de 2013 em 17:29

    o mais nonsense e que um pentagrama invertido tirao sentido satânico do resto, já que “pentagrama” e a representação do rosto de belzebu, ou seja, um bode

  25. Nicolas Almeida Ferreira

    11 de agosto de 2013 em 09:06

    Esse conto foi tirado da Página SlenderMan.mais foi modificado,pois no dia 8 de agosto eu vi esse conto por Lá no face

  26. Adrian Nicollas

    10 de agosto de 2013 em 21:38

    A unica coisa que deu um pouco de medo nesse post foi aquela musiquinha ‘-‘

    • Freed Heisenberg

      11 de agosto de 2013 em 01:39

      Qual o nome da santa musiquinha ? >:/

      • Adrian Nicollas

        11 de agosto de 2013 em 22:53

        Não sei

  27. Vinicius Melo

    10 de agosto de 2013 em 21:26

    [img]http://imageshack.us/photo/my-images/856/zdob.jpg/[/img]

  28. Garota Infernal

    10 de agosto de 2013 em 19:50

    História fraca, a imagem é genial, apesar de dar pouco medo e a gente se acostumar. Em termos de arte, fotografia, nenhum “Lado negro” irá superar Jeff The Killer, ôh homem lindo *—*(Sarcasmo?).
    A história peca por ser curte e pouco explicativa, e clichê também. É a velha historinha do demônio que é evocado por adolescentes, esses adolescentes morrem e algum parente, jornalista, investigador ou amigo mais velho se vê obrigado a lutar contra este demônio. Clichê, não é assustador, a foto é boa, sim, mas não é assustadora, você se acostuma com ela. Ruim.

    • Lucas Rodrigues

      10 de agosto de 2013 em 20:38

      A foto é uma montagem 😉

  29. Vitória Barros

    10 de agosto de 2013 em 17:36

    Interessante, deu um friozinho na barriga :S

  30. jimversaofilosofo

    10 de agosto de 2013 em 17:07

    ui…o devorador…ou to mais corajoso ou as historias tao mais fracas… -.-

  31. Gianluca Linhares

    10 de agosto de 2013 em 15:57

    O mais estranho são as crianças SEM CABEÇA olhando e chorando… wtf?!

    • Garota Infernal

      10 de agosto de 2013 em 19:45

      É o pó, mano. É o pó!

    • Vitória Barros

      10 de agosto de 2013 em 17:37

      Também pensei nisso ¬¬’

  32. Matheus Almeida

    10 de agosto de 2013 em 13:58

    Bem legal até, mas não da muito medo.

  33. Dark J

    10 de agosto de 2013 em 13:36

    Se eu ver esse bixo, irei invocar o Rayquaza Negão, sem dó, nem piedade.

  34. Nêmesis chapado de maconha e cheirado de cocaína

    10 de agosto de 2013 em 13:13

    Sou mais a Sandrinha devoradora de pika.

  35. Luka Megurine

    10 de agosto de 2013 em 13:12

    Muito legal >.<

  36. José Antonio

    10 de agosto de 2013 em 12:49

    Nada haver!! Como é que eles fazem um pentagrama invocando o bicho e depois ficam perguntando: “Deus! Por que? Por que?… Que bosta!

  37. Gregory da cruz de Souza

    10 de agosto de 2013 em 12:34

    Acho bem interessante esse lance de mexer com o emocional do leitor, geralmente pega os mais novos que querem dar uma de machão e ler. Existe mesmo o livro do devorador? se alguém puder me mandar o link do livro original, por favor.

  38. Gregory da cruz de Souza

    10 de agosto de 2013 em 12:16

    Sério demorei pra entender que o que está na boca do devorador é a perna da menina, eu fiquei que nem cachorro virando a cabeça pra entender o que era o que, só entendia a cara do monstro e da menina. .-.

  39. ricardo ost

    10 de agosto de 2013 em 11:55

    Uma pergunta se as crianças do sonho estavam sem cabeça como ele sabia que elas estavam olhando?

    • Matheus Almeida

      10 de agosto de 2013 em 13:57

      foda ._.

  40. MCesquilo

    10 de agosto de 2013 em 10:34

    kkkk show essa crepy a imagen tbm e tensa,
    Mas nem tenho medo,eu manjo dos paranaue.

  41. Vailson Silva

    10 de agosto de 2013 em 08:55

    Loco de mais cara…Parabéns para o autor, sem dúvida ficou muito bom..

  42. Lucas Rodrigues

    10 de agosto de 2013 em 07:09

    Deu um pouco de medo esse conto, me lembrou o caso do garoto que supostamente matou os pais. Essas coisas de seitas, rituais é algo bem sinistro, pior que quando eu tava lendo imaginei como seria a cena do devorador matando os pais desse garoto, é muito tenso mesmo.
    Por favor, Lado Negro dos Padrinhos Mágicos 😉

    • Iago Fernandes

      13 de agosto de 2013 em 19:05

      Tbm que o Lado Negro dos Padrinhos Mágicos adorava ver quando eu era menor

  43. Freed Heisenberg

    10 de agosto de 2013 em 03:26

    Qual o nome dessa musica?

  44. Luís Felipe

    10 de agosto de 2013 em 02:01

    Eis o maior devorador do mundo:
    [img]http://comoperderlabarrigarapidamente.com/wp-content/uploads/2011/05/wpid-HomerEatingSub.jpg[/img]

    • Iago Fernandes

      13 de agosto de 2013 em 19:06

      kkkkkk vdd

  45. Luís Felipe

    10 de agosto de 2013 em 02:00

    “O DEVORADOR!”
    “O DEVORADOR TE OBSERVA!”
    “O DEVORADOR VAI TE PEGAR!”
    “O DEVORADOR ESTÁ ATRÁS DE VOCÊ!”
    Foram as únicas frases q li, mas já deu pra entender toda a história…

  46. Sue Way

    10 de agosto de 2013 em 01:05

    Bem interessante, gostei mas podia ser melhor, o que me deu medo mesmo foi a foto shauhsuahs

    • Mary

      10 de agosto de 2013 em 01:13

      serio? mas ta na cara que ela é fake e alem do mais parece que a menina da foto ta gostando de ser devorada.

      • Sue Way

        10 de agosto de 2013 em 11:03

        Mas da pra saber que é fake sim, mas mesmo assim suahsuhas

  47. Túlio Cardoso

    10 de agosto de 2013 em 01:05

    Saudade de quando tinha o ‘Maiores misterios da humanidade’,era mais interessante que isso.

  48. Mary

    10 de agosto de 2013 em 00:48

    quase nem termino de ler o texto, foi legalzinho mas nao deu medo.

  49. Estudante

    9 de agosto de 2013 em 23:43

    Só li pela imagem 😀

    • Aline Gonçalves

      14 de agosto de 2013 em 17:55

      tb

    • jhajá

      12 de agosto de 2013 em 17:26

      todos nós sabemos q vc é tapado o bastante para fazer isso, estudante!
      :p

      • Adriano Saadeh

        17 de agosto de 2013 em 16:57

        q maldade… XD

  50. Santo Amaro

    9 de agosto de 2013 em 23:41

    mas é sério isso é real?

    • Paulo Neves Morais

      15 de março de 2014 em 09:18

      claro q nao, nao pense q o irreal é real, o irreal so faz vc achar q o irreal é real.
      como se isso fosse real…

    • Anderson Alves da Silva

      9 de agosto de 2013 em 23:44

      Não acredito que seja real, mas se o caso for real, a imagem não é real, nota-se que a imagem é uma montagem

      • Gabriela Otome

        21 de novembro de 2013 em 17:54

        A imagem não é bem uma montagem, ela foi tirada de um filme =)

        • Paulo Neves Morais

          15 de março de 2014 em 09:19

          mas se foi tirada de um filme, foi uma montagem 😉

      • Luís Felipe

        10 de agosto de 2013 em 23:18

        Oh RLY?
        Imagine a cena:
        O monstro começa a comer a menina, daí chega uma pessoa e diz:
        “Nossa! Vou tirar uma foto!”

        • XxXmetalistaXxX

          15 de agosto de 2013 em 20:20

          Nossa imaginei isso ‘-‘

          • Luís Felipe

            16 de agosto de 2013 em 00:54

            Q?
            Como podes?

  51. Anderson Alves da Silva

    9 de agosto de 2013 em 23:40

    Legal, mas não existe motivo para ter medo do que não existe, mas é da hora o post, gostei

    • Channy Aburame

      14 de agosto de 2013 em 20:23

      Na Verdade,Existem Seres Astrais Sim Entre Nós,Não Sou Eu,Nem A Igreja,E Sim A Ciência,Porém Existem Seres Astrais Bons,E Seres Astrais Vingativos,Que Só Fazem Mal À Pessoas Impuras Ou Que Buscaram Por Isso,Eu Digo Isso Por Experiência Própria…

    • Gregory da cruz de Souza

      10 de agosto de 2013 em 12:37

      Você é ateu?? nada contra, mas se acredita que deus exista também é certo acreditar que o contrário do bem exista né.

  52. Santo Amaro

    9 de agosto de 2013 em 23:38

    eu vou pegar minha trap card tambem!pra minha vida!
    [img]http://img515.imageshack.us/img515/5109/185267yu6.jpg[/img]
    o dragão branco de olhos azuis não posso esquecer…
    [img]http://user.img.todaoferta.uol.com.br/7/8/JE/7HEMZ3/bigPhoto_0.jpg[/img]
    também vou pegar meu card arceus!
    [img]http://anas2000.a.n.pic.centerblog.net/o/41eb3191.png[/img]
    ufa,perae,to esquecendo de algo…

    • Bardock

      10 de agosto de 2013 em 09:04

      A primeira não é uma trap card.

      • Vitória Barros

        10 de agosto de 2013 em 17:40

        É, também desconfiei que não fosse

  53. Eric Matheus

    9 de agosto de 2013 em 23:36

    Dahora imaginar, associei a historia com a daquele garoto loiro que mato os pais*talvez tenha matado, talvez não* é um mistérios que eu nunca vo saber =/

  54. eduardo (eduh)

    9 de agosto de 2013 em 23:33

    imagem 1:uma das poucas imagens da categoria terro do minilua que realmente me fez fica tenso :O

  55. Santo Amaro

    9 de agosto de 2013 em 23:31

    meu deus…eu sei o nome dele oh mygod…EU VOU PEGAR MEU WARD!!!
    [img]http://4.bp.blogspot.com/-AiQKcSDOaAE/Tz42eWyIp7I/AAAAAAAALFk/cOUK4XDTTPQ/s400/League+of+Legends+Sight+Ward+Papercraft.jpg[/img]
    tá tudo bem agora…

80 Comentários
Topo