O lado negro: Chaves From Hell

Chaves é sem sombras de dúvida uma das clássicas séries de humor mais aclamadas do mundo, a comédia de origem mexicana fez tanto sucesso que adquiriu grande popularidade a nível internacional, sobretudo nos países sul-americanos, Espanha e é claro, no Brasil.

Mas como toda boa trama tem um lado obscuro não poderia ser diferente com Chaves não é mesmo! O que será que se esconde por trás deste inofensivo e ingênuo humorístico?

O que você lerá a seguir é uma creepypasta, ou seja, uma lenda urbana moderna difundida pela internet, por fóruns, e-mails e redes sociais. Normalmente podem ser fictícias, sem provas ou fontes confiáveis, ficando assim apenas como um conto de terror, mas… e se forem reais?

Para ampliarmos a sensação de suspense inserimos uma trilha para ser tocada acompanhado a leitura. (Não sejam covardes)




Chaves

Sartre escreveu em sua famosa peça “Entre Quatro Paredes”, de 1945, que “o inferno são os outros”. Não existe uma definição universalmente aceita sobre o conceito de in­ferno na tradição teológica oci­dental.

Segundo o historiador Jean Delumeau, no livro “Entrevistas Sobre o Fim dos Tempos”, o catolicismo tradicional, apoiando-se em Santo Agostinho, apregoava a “existência de um lugar de sofrimento eterno para aqueles que tiverem praticado um mal considerável nessa vida e dele jamais se tenha arrependido”. Essa noção, um tanto incongruente com a imagem de um

Deus misericordioso, não prosperou fora do imaginário po­pular, sendo substituída pela so­lução do Purgatório, desenvolvida no século II, sobretudo, por Orígenas. Nin­guém mais estaria condenado para sempre, embora, excetuando-se os santos, todos tivessem que passar por um período variável de purificação, com a garantia da salvação ao final.

Santo Irineu discordava. Para ele, “os pecadores confirmados, obstinados, se apartaram de Deus, também se apartaram da vida”.

Portanto, após o julgamento final, os condenados seriam simplesmente apagados da existência.

A polêmica continuou pelos séculos dos séculos, com novos debatedores:

Tomás de Aquino, Lutero, Joaquim de Fiore. Na literatura, Dante e Milton criaram visões poderosas do inferno. O trio de condenados de Sartre, os cenobitas sadomasoquistas de Clive Barker e os pecadores amaldiçoados de Roberto Bolaños são recriações contemporâneas perturbadoras.

Sim, Roberto Bolaños. Não, não se trata do falecido ficcionista chileno Roberto Bolaño (1953–2003), autor do calhamaço “2666”. O Bolaños com S é um artista infinitamente superior. Refiro-me ao ator, escritor e diretor mexicano Roberto Gómez Bolaños, apelidado, num exagero quase perdoável, de Chespirito, ou “Pequeno Shakespeare” à mexicana. Ele é o criador de uma das mais sutis, brilhantes e temíveis representações do inferno em qualquer das artes: o seriado “Chaves”. Se, conforme ensinou Baudelaire, “a maior artimanha do demônio é convencer-nos de que ele não existe”, podemos concluir que esse mesmo demônio não iria apresentar seus domínios por meio de estereótipos: escuridão, chamas, tridentes,  lava. Em “Chaves”, verdadeiramente, “o inferno são os outros”.

Bolaños encheu sua criação de sinais que devem ser decodificados para  que se revele seu verdadeiro sentido de auto moralizante. O primeiro e mais importante é o título.

Originalmente, o seriado chama-se “El Chavo Del Ocho”, ou traduzindo do espanhol: “O Moleque do Oito”. Ninguém sabe o verdadeiro nome do protagonista, que nunca foi pronunciado. Cha­mam-no apenas de “Moleque”. O nome próprio Chaves é uma adaptação brasileira, uma corruptela da palavra “chavo”. É certo que um “chavo”, ou “moleque”, é quem faz molecagens; quem subverte a ordem do que seria moral e socialmente aceito como correto. Em livre interpretação, o “moleque” é um pecador. Portanto, o seriado trata de pecados. Não de pecados mortais, pois do contrário dificilmente seus personagens gerariam simpatia, mas, com certeza, de pecados capitais.

Ao contrário do que muitos acreditam, o protagonista não mora em um barril, mas na casa número 8. Sendo órfão e morador de rua, foi recolhido por uma idosa, que jamais foi mostrada; e que talvez não exista. Se existir é a morte materializada, pois habita o 8. Basta deitar o numeral 8 que obtemos o símbolo do infinito. A morte é infinita, pois não há vida antes da vida e após a vida volta-se a condição anterior. A vida pode ser medida pelo tempo, o antes e o depois é, por definição, infinito. O nada infinito, a graça infinita ou a purgação infinita.

Essa vila do “8” nada mais é do que um pedaço do Inferno, especialmente preparado para receber seus hospedes, mortos e condenados no julgamento final. Uma variação cômica de “Entre Quatros Paredes”, onde duas mulheres e um homem (além de um mordomo… mas o comunista Sartre não considerou o representante da classe proletária um personagem pleno) são obrigados a se suportarem mutuamente pela eternidade, num ciclo infindável de acusações e violência. Não é difícil imaginar a cena:

Chiquinha chuta a canela de Quico e faz seu pai pensar que o menino foi o agressor, enervado Seu Madruga belisca Quico, que chama Dona Florinda, que acerta um tapa no vizinho gentalha, que descarrega a raiva no Moleque, que atinge o Seu Barriga quando ele chega para cobrar o aluguel. Enquanto isso, o professor Girafales, queimando de desejo, bebe café, com um buquê de rosas no colo, sem desconfiar a causa, motivo, razão ou circunstância de tanta repetição.

O cenário é um labirinto rizomático, sem centro, começo nem fim. Saindo da vila caem em uma rua estreita que leva a um pequeno parque, um  restaurante e uma apertada sala de aula.

As variações, como Acapulco, são exceções que confirmam a regra. O universo dos personagens se resume a esse espaço claustrofóbico, onde um ambiente leva a outro que leva a outro que leva a outro, indefinidamente.

Os pecados que cometeram em vida transparecem em suas características, medos e frustrações. Chaves, o Moleque, sempre faminto, cometia o pecado da gula. Glutão inveterado, sua preferência por sanduiche de presunto indica desprezo pelas leis de Deus, que proibiu o consumo de porco, esse animal sujo e de pé fendido. Inimigo de qualquer autoridade moral, apelidou seu professor de “Mestre Linguiça”, outra referência a malfadada iguaria suína.

Seu Madruga, que têm muito trabalho para continuar sem trabalhar, cometia o pecado da preguiça. Exigem redobrados esforços suas estratégias de fuga, para não pagar os indefectíveis 14 meses de aluguel. Que nunca se tornam 15 meses, denotando que a passagem do tempo está suspensa. Não é necessário lembrar que 7 + 7 é igual a 14 e que, na tradição crística, 70 x 07 simboliza o infinito. Da mesma forma que o 8, o símbolo de adição deitado torna-se o de multiplicação. Deus mora nos detalhes.

A ganância de Seu Barriga é óbvia. Quem mais cobraria o aluguel mensal praticamente todos os dias? Os golpes que o Moleque lhe aplica sempre que chega a vila faz parte de sua punição.

O fato de possuir como veículo uma Brasília amarela liga-o imediatamente ao país Brasil,  indicando que em vida deve ter se envolvido em escândalos de corrupção. Terry Gilliam não escolhe títulos ao acaso.

O pequeno marinheiro Quico, o menino mais rico da vila, é movido pela inveja. Sempre que vê um de seus pobres vizinhos se divertindo com um surrado brinquedo, cobiça aquela alegria simplória e vai buscar um dos seus, sempre maior e melhor, mas que nunca lhe dá satisfação.

O brinquedo do outro, mesmo sendo obviamente inferior, sempre lhe parece mais interessante. Um círculo vicioso de inveja, jamais saciada.

Chiquinha é marcada pela personalidade intolerante, raivosa. Imitando o Pateta, usava o automóvel como uma arma potencializadora de sua ira. Morrendo em uma briga de trânsito, na vila, tenta fazer o mesmo com o triciclo. Não foram poucas as vezes que atropelou pés e brinquedos. Mas a musa que canta a ira do poderoso Aquiles não se ocupa da ira insignificante de Francisquinha. Sendo a menor e fisicamente mais fraca da vila, só lhe resta chorar, chorar e chorar.

Dona Florinda e o Pro­fessor Girafales foram libertinos do porte do Marquês de Sade e Messalina (ou os próprios). Mestres na arte da luxúria, acabaram condenados a eternidade de abstinência sexual. Frigidae impotente, a mente almeja, mas o corpo não acompanha. Consomem infindáveis xícaras de café que, com propriedades estimulantes, alimentam ainda mais o fogo que não podem debelar. O professor Girafales fuma em sala de aula não porque “El Chavo Del Ocho” foi gravado antes da praga politicamente correta, mas devido ao fato dele ser portador do célebre cacoete pós-coito de acender um cigarro, fazer um aro de fumaça no ar e perguntar “foi bom para você?”. Incapaz de cumprir a primeira parte do ritual erótico, involuntariamente reproduz a segunda. Não por acaso, a trilha sonoro de seus encontros é a mesma de “… E o Vento Levou”. A frase final do filme é “amanhã será outro dia”. Na vila, sempre haverá outro dia e outra xícara de café.

Dona Clotilde, a bruxa do 71, padecia de extrema vaidade. O gênio de Bolaños teve a sutileza de convidar uma ex-miss, a espanhola Angelines Fernández, para interpretar a personagem. Novamente o signo de uma condenação eterna aparece: 71 nada mais é do que 7+1=8. O animal de estimação de Dona Clotilde, significativamente chamado de Satanás, chama atenção para outro elemento importante. A presença de diversos demônios errantes na vila. Trata-se de uma besta transmorfa. Em alguns episódios satanás é um gato, em outros um cão. Diferente do paradoxo do  coelho-pato de Jastrow, Wittgenstein e Thomas Kuhn, que servia ao desenvolvimento da razão, o gato-cão é uma representação do misticismo, o cão em “pessoa”.

Em 1589 o teólogo Peter Binsfeld, no livro “Binsfeld’s Classification of Demons”, estabeleceu que cada um dos sete pecados capitais possui um patrono infernal. Sintoma­tica­mente, Lúcifer, nome pelo qual muitos chamam satanás, gera a vaidade. Os outros são Asmodeu que gera a luxúria, Belzebu a gula, Mammon a ganância, Belphegor a preguiça, Azazel a ira e Leviatã a inveja. Não nos enganemos: eles rondam a vila. Aparecem circunstancialmente, para promover desordem, dor e tentação.

Se o gato-cão Lúcifer/Satanás ajuda a difundir o boato de que Dona Clotilde é uma bruxa, me parece óbvio que a bela menina Paty e sua tia Glória são Belzebu e Belphegor metamorfoseados em súcubos, demônio  sexuais femininos, prontos para atiçar outros apetites no Moleque e tirar Seu Madruga de seu estado de letargia. Por sua vez, o galã de novelas Hector Bonilla, que visitou a vila, nada mais é do que Asmodeu na forma de um íncubo, demônio sexual masculino, com a missão de tumultuar a relação do casal de libertinos castrados. Nhonho é Mammon, instigando o pai avaro a gastar. Popis é Azazel, esmerando-se em despertar a ira de Chiquinha com sua futilidade enervante. Godinez é Leviatã atiçando a inveja de Quico, com suas respostas tão certeiras quanto involuntárias ao Mestre Linguiça. Figuras de pouca relevância como Dona Neves, Seu Furtado, os jogadores de ioiô, os alunos anônimos na escola, os clientes do restaurante, o pessoal do parque e do festival da boa vizinhança, além de outros coadjuvantes, são entidades demoníacas menores, com a função de criar a ilusão de normalidade.

De fato, os frequentadores da vila parecem inscientes de sua condição. Os adultos por serem alto-centrados. As crianças por estarem duplamente amaldiçoados, regredidos a condição infantil, talvez como espelho da imaturidade emocional que os levaram a conduta pecadora.

Enquanto muitas pessoas sonham em possuir a experiência da maturidade em um corpo jovem, eles mantiveram o corpo que possuíam na hora da morte, mas quase sem nenhuma experiência. Essas são as sutilezas da burocracia infernal.

O carteiro Jaiminho, em sua função de portador de mensagens, é o único representante do lado de cá. Um médium que tenta fazer contato com outra dimensão. Seu constante estado de fadiga é resultado do esforço sobre-humano necessário para cruzar as dimensões. Prova disso é a descrição que Jaiminho dá de sua terra natal, Tangamandápio. A despeito de existir de fato, sendo localizada a noroeste do Estado mexicano de Micho­acán, trata-se de uma alegoria. Se­gundo o carteiro, tudo em Tangamandápio é colossal. Seria maior do que Nova York e teria uma população de muitos milhões de habitantes. O que poderia ser tão grande?

Obviamente, ela não se refere a uma única localidade isolada, mas a todo o planeta; a  terra dos vivos. As cartas que transporta são psicografias e a bicicleta que nunca larga, apesar de não saber andar, nada mais é do que um totem, ao estilo de “A Origem”, necessário para que possa voltar para realidade.

Em “El Chavo Del Ocho”, Bolanõs, o Camus asteca, criou sua própria versão do mito de Sísifo. O Moleque e companhia estão condenados a empurrar inutilmente por uma ladeira íngreme essa imensa pedra chamada cotidiano, que sempre rola de volta, obrigando-os ao tormento do eterno retorno. A pedra de Quico é quadrada, não rola, desliza. É cômico, apesar de trágico.

Reaja! Comente!
  1. Abbey Maggot Bominable

    1 de agosto de 2014 em 10:13

    tendo a infancia destroçada em 3…2…1…

  2. Malu Baskeville

    24 de julho de 2014 em 09:43

    #Destruiuminhainfância

  3. Rafaela Honorato

    10 de abril de 2014 em 12:16

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK Professor Girafales tomando café e queimando de desejo, pqp!

  4. Thiago Mingatrix

    30 de julho de 2013 em 01:54

    Tem algumas falhas, mas como estou conhecendo o site agora, de longe foi a melhor creepypasta que li até agora!!!

  5. Arysson Lima

    8 de julho de 2013 em 23:14

    Essa Creepy faz sentido no que diz respeito a todas as analogias. Muito bem detalhada, no entanto, tem algumas falhas. Godinez mal aparece na série, e não faz inveja ao Kiko. Geralmente, quem mais faz é o Nhonho – por ser ainda mais rico. Outra que, o aluguel do seu Madruga já chegou sim aos 15 meses. Se o lugar onde eles vivessem (a vila) fosse só um eterno labirinto, porque diabos eles iriam a outros lugares como Acapulco ou mesmo o cinema? Seu barriga tinha algo a ver com a corrupção só por ter uma Brasília Amarela? Isso tá bem mais pra Mamonas Assassinas. E achei um tanto sem nexo afirmar que os personagens secundários e figurantes são representações demoníacas de menor escalão. Resumindo, são falhas que me fazem não acreditar na teoria do criador da Creepy, apesar dela ser muito bem escrita, como já afirmei anteriormente.

  6. Raphael Marin

    6 de julho de 2013 em 13:06

    Puta que pariu, quem inventou essa bagaça é muito desocupado. Se acham cristãos procurando o capeta em tudo. Deveriam procurar coisas boas nas coisas, e não coisas ruins.

  7. Delayarms

    18 de junho de 2013 em 20:42

    Tira ai esse fundo preto fica doendo na vista fica embaçado

  8. Natália Scalvenzi

    12 de junho de 2013 em 14:29

    O negócio do cotidiano sempre indo e voltando, sem saída, faz sentido mesmo, e isso é o que baixa o astral, mas, agora dizer que todos são demônios, e os coitados dos figurantes são entidades menores… tenha DÓ, francamente!!! Velha senhora que cuidava do Chaves quando pequeno mas que nunca foi mencionada?!! Se nunca foi mencionada, como sabem dela então? Cara, uma coisa é fazer uma creepy de um suposto episódio perdido que nunca foi ao ar, mas essa dai foi forte! E pelo que você mencionou aí, os personagens cometem apenas cada um um pecado capital, e quem de nós não faz isso?! Enfim, o que achei engraçado foi o Professor Girafales e a Dona Florinda na abstinência sexual kkkkk fato puro!!!!! Enfim, repetirei o que já foi dito por aqui: Rearalmente não sei dizer se quem bolou tudo isso foi um gênio ou um idiota!

  9. Angelina Jolie

    9 de junho de 2013 em 21:05

    Foi uma leitura literária inteligente, teve uma fundamentação coerente, porém acho que o objetivo do criado de Chaves nem chega perto, de fato o que há é um cunho social vivido por muitos mexicanos…

  10. Tiago Mazzini

    31 de maio de 2013 em 13:49

    Parabéns pelo post Super legal

  11. Kuro Black

    20 de maio de 2013 em 10:59

    Nossa cara o que é isso?, a história ficou muito bem escrita e foi bem pesquisada também, mas, não tem nada a ver -.-

  12. Fernanda Baptista

    18 de maio de 2013 em 20:03

    Eu não consigo acreditar nisso, mas tenho que admitir que essa história ficou bem escrita e verossímil. O(A) autor(a) está de parabéns…

  13. Paulo

    18 de maio de 2013 em 01:46

    Essa foi boa, a parte mais ridícula da historia é quando fala que Quico tinha inveja do Godinez, a parte que não batem bem na história também é o carteiro, que sempre dá um monte de cartaz para o pessoal procurar a carta, e a parte do carteiro que foi no restaurante tomar um café e ver uma barata, o que seria?

  14. Vinicio Guerra Machado

    17 de maio de 2013 em 10:18

    Criativo pra caramba! Parabéns.

  15. Verde

    15 de maio de 2013 em 22:08

    eu já tinha lido e não é creepy.é uma mistura de religião,mitologia e drogas

  16. Rorschach Bach

    15 de maio de 2013 em 08:54

    “O fato de possuir como veículo uma brasília amarela, liga-o imediatamente ao país Brasil, indicando que em vida deve ter se envolvido em escândalos de corrupção.” Sério produção?

    • jhajá

      15 de maio de 2013 em 21:55

      “O fato de possuir como veículo uma brasília amarela, liga-o imediatamente ao país Brasil, indicando que em vida deve ter se envolvido em escândalos de corrupção.”
      ACHO Q SÓ LIGA ELE AOS MAMONAS ASSASINAS…

  17. Wilson Silva

    14 de maio de 2013 em 17:20

    Medo… mas assisto mesmo assim!! hesauhesauaehsuhesa

  18. Sex Appeal

    13 de maio de 2013 em 15:52

    Adorei, ignorando o fundamento genuíno dos argumentos achei muito interessante, para criar algo assim, tem de ser uma pessoa incrivelmente detalhista. Mas afinal que interpretação teria a situação em que o Chaves vai pra igreja rezar pro ladrão da vila se arrepender de seus pecados? Muito bom.

    • jhajá

      15 de maio de 2013 em 21:57

      PUTZ… acabou com o terror da crepy!!!!

  19. taillan moura

    13 de maio de 2013 em 13:09

    puts .. viajaram agora .. nada ver !!!

  20. From Hell

    12 de maio de 2013 em 21:32

    Não gostei do título…
    Achei ofensivo

    • Lucas Rodrigues

      13 de maio de 2013 em 14:08

      Quando vi o título da matéria lembrei logo de você rsrsrsrs

      • Shun dlç

        13 de maio de 2013 em 14:13

        Cara, ela vai falar que não te conhece e vai te dar uma patada… (eu já tentei de tudo pra levar uma patada dela, mas até hj nunca consegui)

        • Lucas Rodrigues

          13 de maio de 2013 em 15:56

          É disso que eu tenho medo rsrsrsrsrs

  21. Fabio Herdt

    12 de maio de 2013 em 21:14

    puxa eu não duvido de nada

  22. Elisson Alan

    12 de maio de 2013 em 20:21

    Alguem jah percebeu que no cardapio do restaurante da dona florinda, há o olho de horus (acho que eh esse o nome…) procurem vcs mesmos dpois venham me falar…

    • Lucas Rodrigues

      12 de maio de 2013 em 20:39

      Eu já percebi, bem estranho isso.

  23. Jefferson Fagner

    12 de maio de 2013 em 15:21

    Ai pessoal se voces não acreditaram em nada ai em cima, um sinal muito visivel, procura no youtube, o video do dia do cachorro da bruxa do 71 o “satanas” procurem a perte em que o nhonho esta sozinho na vila e a bruxa grita:”Satanas” o nhonho faz com as maos os chifres olhem e digam.

    Citação: “Conheceis a verdade, e a verdade vos libertará”

    • Raphael Marin

      6 de julho de 2013 em 13:07

      Satanás? É você satanás?

    • Lucas Rodrigues

      12 de maio de 2013 em 18:08

      Eu estranhei essa cena, não sei porque o nhonho estava fazendo os chifres com as mãos ( até porque esse gesto é conhecido por ser demoníaco), sendo que ele estava com medo do cachorro, enfim é uma cena bem confusa.

  24. Gasai Yuno

    12 de maio de 2013 em 13:27

    Meio que faz sentido…. 😛

  25. samuel becker

    12 de maio de 2013 em 02:08

    quem disse q o mestre linguiça e adona florinda nunca faziam sexo? pq acham q o quico nunca ficava junto ???

  26. Leonardo Bento de Souza

    12 de maio de 2013 em 01:36

    Se isso foi escrito por algum fã normal de Chaves, tenho que dizer que o cara tem uma baita criatividade e (quase) ótima elaboração de texto, mas se foi feito por um religioso qualquer tentando convencer algo inexistente, que pena não conseguiu.

  27. Joao Alexandre Mariano

    11 de maio de 2013 em 23:29

    Primeiro, ao autor, você escreve realmente muito bem, esse texto conseguiria convencer alguem, se não fosse pelas partes que você cita sua opinião. Se isso fosse realmente uma teoria séria, deveria ser uma dissertação, mas, eu encontrei alguns fragmentos da sua opinião no texto. Sabe, conceitos e dogmas a parte, vocês religiosos deveriam parar com essa paranoia de ver sinais do inferno em tudo, dessa maneira, vocês não tornam a vida de vocês um inferno. Voltando ao texto, seus fatos e citações não se interligam, e falharam vergonhosamente em conseguir provar alguma coisa da sua teoria.

    • Shun dlç

      8 de setembro de 2013 em 17:08

      Cara, tu se acha muito espertão né kkkkkkkk tnc mano (brinks, amiguinhos)

    • Emmerson Castro

      12 de maio de 2013 em 10:45

      O rapaz diz no começo, gente. É algo SEM PROVAS CONCRETAS. Diz também: “A maior artimanha do coisa-ruim é provar que não existe. E se você for ver as coisas que tem muito sucesso nesse mundo, nunca é de Deus. Pois os reinos da Terra foram oferecidos para Jesus no deserto, e eu não sei vocês, mas eu não ofereço aos outros o que não é meu. Fica a dica aos desavisados.

  28. Wellington Bianchi

    11 de maio de 2013 em 22:12

    Historia bem criativa se for de ver bem…

  29. Igor Treme Terra

    11 de maio de 2013 em 17:51

    Eu jamais acreditaria em uma baboseira dessas se bem que poderia até ficar com um pouco de dúvida + quando o cara falou brasÍlIa amarela vai se fuder rapaz a brasilia do seu barriga era verde amarela só os MAMONAS ASSASSINAS RSRSRSRSRSR…

  30. Jaqueline Corrêa

    11 de maio de 2013 em 17:26

    estorinhas ridículas que passa nos programs de pastor de madrugada! Pena que o Chaves seja pobre e não pode pagar o dízimo! Aff quanta besteira!

  31. capitão jack sparrow

    11 de maio de 2013 em 16:46

    meio nadaver

  32. Isabella de Oliveira Lopes

    11 de maio de 2013 em 16:33

    quem quer que tenha o lado negro de billy e mandy dá uma curtida

    • Adriano Saadeh

      13 de maio de 2013 em 11:16

      Tem espaço pra todos pessoal!

    • Lucas Rodrigues

      11 de maio de 2013 em 19:51

      Só depois do lado negro do Hora de Aventura OK 😉

  33. Igor Neves

    11 de maio de 2013 em 16:14

    muito bom…

  34. sil bispo arahjo

    11 de maio de 2013 em 16:05

    ta “sertinho” esse cara q fez essa creepypastas (Y)

  35. Super Choque

    11 de maio de 2013 em 15:37

    O pior de tudo é vc parar pra pensar e ver que tudo faz sentido O.o

    • Malu Baskeville

      23 de julho de 2014 em 18:48

      Pior que é mesmo ‘-‘

  36. Dante Marcelo

    11 de maio de 2013 em 15:07

    Que legal cara.. nem me assustei D:

  37. Giuliano Rodrigues

    11 de maio de 2013 em 14:53

    Muito bom! Parabéns ao autor! Sou fã das creepypastas do Minilua e na minha opinião essa foi de longe a melhor de todas até hoje!

  38. Dark Vampire

    11 de maio de 2013 em 14:38

    O interessante foi saber que o Seu Barriga era fã dos mamonas assassinas :/

  39. Shun

    11 de maio de 2013 em 14:26

    Interessante saber que o Seu Barriga tinha uma brasília amarela…

  40. Wesley Gomes

    11 de maio de 2013 em 14:15

    Isso ai não é creepypasta isso é verdade!

  41. Noob Saibot

    11 de maio de 2013 em 12:52

    Que eu lembro já teve o “lado negro do Chaves” a muito tempo atrás aqui no ml.

    E deixando um beijo pra From hell. ;D

  42. Tr00ta Fulero

    11 de maio de 2013 em 12:47

    nada a verrrrrrrrr

  43. Kelbert

    11 de maio de 2013 em 12:24

    “chuta a canela de Quico e faz seu pai pensar que o menino foi o agressor, enervado Seu Madruga belisca Quico, que chama Dona Florinda, que acerta um tapa no vizinho gentalha, que descarrega a raiva no Moleque, que atinge o Seu Barriga quando ele chega para cobrar o aluguel” Chiquinha é o Kpeta O.o

    • Kelbert

      11 de maio de 2013 em 12:32

      * “Chiquinha chuta

  44. zyel

    11 de maio de 2013 em 12:07

    cara essa foi muito ruim. nao tem nada a ver.

  45. Gabriel Ferreira

    11 de maio de 2013 em 11:51

    cara foi uma maconha infinita isso sim, essas crepypastas dão mais sono do que medo,pra falar a verdade eu nem tive saco de chegar na metade dessa porcaria seus argumentos não tem base solida

    • Sex Appeal

      13 de maio de 2013 em 15:49

      Nem deveria ter, é só uma creppypasta…

  46. Dark J

    11 de maio de 2013 em 11:36

    Boa creepy, kekeke. Mas séria maneiro se tivesse uma do Luigi’s Mansion (GC).

    • jhajá

      15 de maio de 2013 em 22:02

      existe uma fase onde um raio cai do lado de fora da mansão…
      quando a sombra de luigi é projetada na parede, ele está enforcado, ou seja, todo o jogo não passa de um purgatório pessoal pro narigudo de roupa verde.
      quero ver vc dormir depois dessa HAHAHAHAHAHA!!!!!

    • Adriano Saadeh

      13 de maio de 2013 em 11:15

      Anotado!

  47. Cibeli Silva

    11 de maio de 2013 em 11:26

    Esse toque na boa não me assusta mais..

  48. Um qualquer

    11 de maio de 2013 em 11:08

    Boa tentativa, o cara com certeza não tinha muito o que fazer. Maas….. ele falhou. Se você está com fome e enfim come algo, você está cometendo o pecado da gula? Legal isso aí.

    • Raphael Marin

      6 de julho de 2013 em 13:09

      Concordo. Ele (Chaves) Só come migalhas e sobras. E tem vontade de comer coisas melhores. Pecado da gula?

    • Bruno Henrique

      20 de maio de 2013 em 00:54

      Claro que isso não deixa de ser ridículo ,mas a “Gula” Existe sim.

    • Bruno Henrique

      20 de maio de 2013 em 00:52

      o “Chaves” não comia para se satisfazer, comia por prazer, sempre querendo maiss, e nem sempre precisando, isso é gula. Pensa um pouco ^^

    • Renato Mello

      11 de maio de 2013 em 14:29

      Além disso outro erro grave foi mencionar que Quico morria de inveja de Godinez rsrs isso nunca aconteceu deslizou feio na história além da Brasilia amarela associando a corrupção… enfim valeu a tentativa…

      • Paulo

        18 de maio de 2013 em 01:33

        O dá brasília amarela essa foi boa, o do Godinez é a parte que acaba com toda a história, realmente isso nunca aconteceu…foi muito engraçado essa história…

  49. Samara May

    11 de maio de 2013 em 10:46

    Nossa, fico impressionada em como um cara ”whatever” conseguiu ver todos os episódios atentamente, vendo todos os mínimos detalhes, tenso mesmo.

    Bem, de qualquer modo, é bem estranho essa teoria, saber que o programa ”Chaves” é um programa ”demoniaco”, credo! De qualquer modo, minha infância já está estragada, dia após dia.
    🙁

  50. Harlan Jandrey

    11 de maio de 2013 em 10:42

    Caralho já vi muitas historias nessa série porém de todas essa foi a pior….Onde fuma um fuma dois, onde fuma dois fuma o bonde…

  51. Li Syaoran

    11 de maio de 2013 em 10:16

    O único erro do cara é ele falar que a dívida do Seu Madruga nunca chega a 15 meses. Há um episódio em que ela se completa e o Seu Barriga se tenta expulsá-lo, mas acaba desistindo.

    • Isabella de Oliveira Lopes

      11 de maio de 2013 em 10:38

      na verdade ñ é um erro quando ele tenta tirar o seu madruga ele nunca diz que já são 15 meses mais sim que está completando 14 meses de aluguel como sempre diz tenho 12 anos e meio assistindo o chaves no sbt(desde q nasci) ele foi substituido por as visões da raven o unico erro é que a religião asteca se trata de um culto a várias entidades animais como os egipcios realizando sacrificios humanos,animais e etc outra coisa a região asteca é tão exinta e como adorar uma região que não se tem escrituras de adoração a outros deuses cultos e etc?faz o lado negro de billy e mandy(já tem um video sobre isso mais está em espanhol e a unica coisa que entendi é que tem mensagens satanicas no final do desenho

      • Dark Vampire

        11 de maio de 2013 em 14:42

        Mesmo que tenha, continua sendo legal. E cá entre nós, se tiver mesmo, o desenho ia ficar mais legal ainda.

      • Bardock

        11 de maio de 2013 em 10:54

        Ou o seu Madruga sempre paga o aluguel “15” e fica sempre devendo 14 meses.

        • Isabella de Oliveira Lopes

          11 de maio de 2013 em 16:32

          eu acho q vou destruir a sua teoria mas ele sempre foje e nunca paga com exceções de alguns episodios mais depois desses episodios que ele paga estranhamente o seu barriga diz q ele ainda deve os 14

      • Lucas Rodrigues

        11 de maio de 2013 em 10:48

        Nunca vi o final do Billy e Mandy. Deve ser legal a creppy desse desenho.

  52. Randy Orton Filho®

    11 de maio de 2013 em 09:35

    cade a tachibana que aparece em todos os posts? 😀

    • Xion

      11 de maio de 2013 em 09:44

      Aqui.

  53. Killer The Tóchicos Dog

    11 de maio de 2013 em 09:04

    tenho saudades da época em que as creepypastas davam medo, pra falar a verdade, não tenho não XD

  54. Allan César

    11 de maio de 2013 em 08:12

    Sério, fico em dúvida se o cara que cria uma teoria dessas é um gênio ou um idiota.

    • jhajá

      15 de maio de 2013 em 21:58

      obvio q é idiota !!!

  55. Lucas Rodrigues

    11 de maio de 2013 em 06:36

    Saadeh posta o Lado Negro do “Hora de Aventura” por favor!!!

    • Adriano Saadeh

      13 de maio de 2013 em 11:13

      Oks cara! Vai ser o próximo!

      • Lucas Rodrigues

        13 de maio de 2013 em 14:06

        XD

  56. Lucas Rodrigues

    11 de maio de 2013 em 06:34

    Que tenso O_O Então quer dizer que todos os personagens são demônios disfarçados de humanos, a vila é o inferno, Jaiminho é um mensageiro do bem…..caramba, eu li atentamente a cada linha e ao mesmo tempo minha infância foi sendo destruída aos poucos, mas essa “destruição” é momentânea, porém a história faz sentido, me arrepiei na parte em que descreve os personagens com seus respectivos “alter-egos” (suas formas demoníacas). Quem bolu essa história tem uma mente atenta aos detalhes, o autor deve ter assistido a todos os episódios e analisado minuciosamente cada detalhe que passa despercebido. Gostei, apesar de ser uma história um pouco amendrontadora, ainda mais pra mim que sou fã de Chaves (e sempre vou ser) ahuauhuahuahua XD

    • Adriano Saadeh

      13 de maio de 2013 em 11:14

      Cara Chaves é master, mas que a creepy é interessante isso é…

    • Lucas Rodrigues

      11 de maio de 2013 em 06:34

      *bolou

  57. André Muniz Cardoso

    11 de maio de 2013 em 03:58

    Maldita bruxa do 71…

  58. João Travain

    11 de maio de 2013 em 03:45

    o capiroto tá possuindo até minha infancia ein… pqp UAEHAEUHAEAE

  59. Hibari Kyoya

    11 de maio de 2013 em 02:46

    Já tinha lido isso em outro site, mas é bem interessante mesmo assim.

  60. Alex Roseno

    11 de maio de 2013 em 01:24

    Tenso ler isso de noite kkk’

  61. Finn

    11 de maio de 2013 em 01:07

    Essa magia koloryda do buglua é loka.. -q

96 Comentários
Topo