Lua de Sangue

Contos Minilua: Sono #249

Mistério, suspense, terror, enfim! Todos os temas são os aceitos. O e-mail de contato, claro: Jeff.gothic@gmail.com! A todos, uma excelente leitura!

Sono

Por: Gabriel S.A

São pelo menos 3 horas da manhã. Outrora, dormir se tornaria a melhor parte de todos os meus dias, mas hoje está sendo uma experiência que não vou esquecer nunca. Pela primeira vez na minha vida há alguns minutos atrás, implorei para que o sono chegasse, e agora, embrulhada embaixo de meu cobertor escuto passos ecoando por toda a casa.

Talvez fosse um ladrão verificando minha casa de ponta a ponta para ter certeza de que não havia ninguém, mas eu sinto que não. É uma presença maligna, quase que sobrenatural. Eu não conseguia fechar os meus olhos para dormir, por isso queria que o sono chegasse, mas ele não chegou ainda.

Então os passos estão próximos, escuto a coisa sussurrando logo na porta do meu quarto, como se fosse natural andar no escuro, dizendo: “Eu só vou entrar se você me chamar”. Um arrepio sobe da ponta dos meus dedos e sobe até minha cabeça, e em meu quarto escuro, cuja cor da parede foi escolhida preta por mim, por achar que eram atraentes de uma maneira peculiar, sentia que o sono seria a melhor maneira de me livrar daquilo.

Então pedi mais uma vez: Eu preciso do sono. Então aconteceu. O escuro do quarto parecia ter se tornado um vácuo, não era possível ver um centímetro a minha frente. Passos se aproximava de mim, mesmo que tal presença falasse que não entraria se não fosse convidada, ela faria mesmo assim.

Seus passos eram largos, como se quisesse chegar o quanto antes até minha cama e sentir sua calma respiração sobre o cobertor, suas mãos pegava o cobertor, e mesmo naquele escuro, ele parecia ver exatamente onde tudo estava, e então, aproximou-se de mim com um  prazer incomum pelo que fazia. Pegou meu pescoço e começou a aperta-lo com força brutal, e então, disse:

“Você me chamou esse tempo todo, e agora não parece estar com a mesma vontade de me ver.”

E ao ouvir isso, refleti. Enquanto meus últimos suspiros eram dados, minha vida se esvaia, eu entendi por que ele disse isso, entendi por que ele veio aqui, e por que não entrou até aquele momento.