Contos Minilua: Olhos Negros #201

Pois é, e para participar, não tem mistério. Para tal, envie o seu conto para: [email protected]! A todos, uma excelente leitura!




Olhos Negros

Por: Nahbd

0141

Não sei quem sou, ou por que estou aqui, tudo que me lembro é de ter acordado nesse lugar… Não tenho nada além de minhas roupas, não há sinal algum de vida humana pelas redondezas, me sinto só, desconfortavelmente só e perdido nesta imensidão verde. Era como um paraíso à princípio, vi vaquinhas pastarem, procurei por seus donos, mas para meu desespero vi que elas eram minha única companhia…

Resolvo não permitir minha morte em um lugar tão distante, arrumei madeira de árvores cujos galhos consegui quebrar à mão, encontrei, por perto, carvão mineral; estava bem próximo à entrada de uma caverna na qual atrevi-me a aventurar. Construí uma cabana robusta, ao lado de um lago, um lugar lindo que por um breve momento confortava minha solidão. Fiz de tudo para me sentir em casa e me conformei com o que havia feito era pouco, mas era suficiente, com lã de ovelhas que pastavam próximas aos campos, consegui fazer uma espécie de cama, me orgulhei do que fui capaz de fazer.

A noite se aproximava e eu me preparava para passar o primeiro dia perdido em meio ao nada, quando vi um vulto passar por entre os vãos da madeira -Seria minha imaginação? -pensei.
Tentei dormir, mas voltei a ver o vulto, minha curiosidade e desejo de encontrar outra alma viva me impulsionou ao escuro, a paisagem agora era diferente, o paraíso deu lugar a um limbo inóspito, senti medo e quis voltar para a segurança do meu abrigo, no entanto, de longe, vi aquele vulto… o que era? Nesse momento e de longe vista, me parecia apenas um homem. Corri em direção a ele me afastando de meu abrigo e ao me aproximar notei algo diferente nele: Ele não possuía braços. Receoso me aproximei mais…

Desta vez de forma oculta, queria vê-lo, mas não queria que me avistasse, meu coração acelerou quando cheguei perto demais e um raio caiu do céu atingindo uma árvore próxima, o fogo que surgiu me fez ver dois olhos vazios e sem expressão vindos daquela criatura grotesca, senti medo, não era humano. Me afastei (a essa altura sabia que era melhor voltar ao abrigo e me convencer que fora apenas um sonho), me recusava a olhar para trás, mas vi sua silhueta se mover em direção a mim, nesse momento começou a chover, parecia que todos os elementos haviam se voltado contra mim, o fogo que iluminava o ambiente se apagou e perdi de vista a criatura.

Neste momento, com um frenesi de medo, corri em direção ao meu abrigo, eu era capaz de ouvir passos que me seguiam, estava com muito medo, parecia que meu abrigo, outrora tão próximo, havia corrido de mim, se afastado uns 3 km de onde o havia deixado. Quando finalmente cheguei, estava ofegante e encharcado, nunca sentira tanto medo assim, temia por minha vida e pensava naqueles olhos vazios… o que era aquela criatura?

Senti-me seguro por cerca de dois minutos quando ouvi passos, minha pequena cabana não inibiria a entrada daquele ser estranho de pele verde escamosa, sai com um galho de árvore em mãos e uma tocha improvisada que fiz com o carvão e a madeira que tinha; crio coragem e me lanço para fora. Chovia muito e raios estavam caindo com frequência assustadora, olhei em volta em busca da criatura, não havia nada além da escuridão da noite, do tímido feixe de luz de minha tocha e dos berrantes clarões dos raios no céu, que faziam o ambiente parecer cinzento.

Olhei para trás aliviado por pensar que fosse minha imaginação, mas dentro da cabana, (imagine meu susto!) lá estava ele, estava escuro, mas fui capaz de perceber sua ausência de braços, seus olhos vazios e penetrantes, era alto e tinha quatro pernas bem curtas, não estou certo quanto a isso, mas parecia ter uma pele escamosa e verde…

Ele se aproximou de mim lentamente, eu estava paralisado de medo, seu olhar me petrificou, fiquei imóvel, suava muito e estava certo de que morreria, a criatura aproximou-se mais, cheguei a caminhar para fora mas não conseguia mover-me mais. Aquilo me seguiu para fora, a chuva forte apenas intensificava meu medo, não tive reação, aquilo se aproximou ainda mais, agora já podia vê-lo claramente, mas teria escolhido não o tê-lo visto, sua aparência me atormenta, a situação era arrepiante, gritei subitamente de medo e a criatura com seu olhar vazio e negro, apenas emitiu um som: Shhhhhhhhhhhhhhhhhh…

Me calei, nesse momento fechei os olhos e munido do galho que tinha em mãos, ataquei a criatura que correu rumo às sombras da noite… em seguida jurei ouvir uma explosão… mas me faltou coragem para ver o que havia acontecido. Que lugar louco é esse onde estou?

Reaja! Comente!
  1. Daniel Ferrari

    29 de junho de 2014 em 20:19

    Eu imaginando algo assustador daí eu me deparo com a descrição de um dia no minecraft
    Kkkkkkkkk

  2. Vinicius Passos

    27 de junho de 2014 em 19:53

    Tão dizendo q é Minecraft, mas eu não jogo, então não tem como entender, se o conto tem um argumento definido, compartilha ele com quem joga.
    O texto é muito bem escrito, prende a atenção, mas apesar da caracterização do monstro, ao final, parace q vc não foi a lugar nenhum, parece q terá continuação, do contrário, vou como andar em círculos, ele criou um bom desenvolvimento, mas faltou o desfecho.

    • Sargento Genisclei Mata-Illuminate da Silva

      27 de junho de 2014 em 21:09

      Minecraft é um jogo “sem fim”(mesmo se você matar o boss final, depois disso você volta pro jogo normal), não tem historia alguma, é um jogo com gráficos quadrados, em primeira pessoa, você faz o que quiser nele, pode quebra blocos, coloca-los em outro lugar, fazer ferramentas, etc. Se você morrer, todos os itens do seu inventario ficam no chão, e você tem pouco tempo pra pegar eles.
      E tem tbm o modo criativo, no qual você não morre, pode pegar os itens que quiser, e pode voar.
      Resumidamente, é isso o jogo. E o monstro do conto na verdade é um creeper, que é um bicho que explode, ele é bem silencioso, o unico barulho que faz é um “Shhhhhhhhhhhhhhh” quando esta prestes a explodir.

  3. Celso Araújo

    27 de junho de 2014 em 18:27

    Isso é minecraft

  4. Bruno Augusto

    27 de junho de 2014 em 14:51

    Close your eyes… Embrace eternity…

    Entendedores, entenderão

  5. Dr.V

    27 de junho de 2014 em 14:45

    Gostei do conto,deu um certo suspense.Digno de uma nota 7,5.
    Faça uma continuação 😛

  6. Neto Lacava

    27 de junho de 2014 em 12:22

    realmente vei agora eu percebi é minecraft

  7. Neto Lacava

    27 de junho de 2014 em 12:21

    minedraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaafth!!!!!

  8. Cleysson Alberto

    27 de junho de 2014 em 12:18

    unico olio negro q eu conhesso e o olho do cu flw

    • Sargento Genisclei Mata-Illuminate da Silva

      27 de junho de 2014 em 21:01

      Num cunhecci us mininu dus zói negru?

      • Sargento Genisclei Mata-Illuminate da Silva

        27 de junho de 2014 em 21:01

        Acho que escrevi na lingua dele, mas não tenho certeza, HUE.

  9. Ciclista Velame

    27 de junho de 2014 em 11:15

    Pela primeira vez eu leio esses contos… Essa história tá bem interessante!

  10. Totalmente sem sal

    27 de junho de 2014 em 10:51

    Parece que alguém andou jogando muito Minecraft

  11. Ezio Auditore

    27 de junho de 2014 em 10:50

    Sei nao hein… So acho q poderia ter continuaçao

  12. Monique Azevedo

    27 de junho de 2014 em 09:59

    oi, queria a continuação de tá com você, flw, vlw (y)

  13. Dark J

    27 de junho de 2014 em 07:55

    Só que sentir o gostinho de “quero mais”?

  14. Lucas Rodrigues

    27 de junho de 2014 em 06:58

    A princípio, o título me lembrou de uma edição da série Alienígenas do Passado, a qual falava sobre as crianças das estrelas. Crianças cuja a inteligência é quase sobre-humana. Entretanto o título me fez lembrar da versão maligna das tais crianças. Tinham olhos completamente negros e batiam nas portas das casas para pedir comida ou água. Mas não tem nada a ver com a estória que acabei de ler. Fiquei em uma dúvida cruel entre clicar em “Gostei” ou “Não Gostei”. Mas cliquei em “Gostei”, porque pelo menos teve um suspense bem inserido e que não soou falso em nenhum momento.
    É daquele tipo de conto que faz o leitor encarregar-se de obter todas as respostas para as perguntas que ficam, apenas imaginando-as, tentando encontrar sentido pra certos detalhes, não que o conto seja sem nexo, longe disso, mas sim imaginar explicações para uma trama significativamente enigmática.
    Senti uma sensação que foi a mesma após ler outros contos da série: a de que ainda não acabou. Sinto que ainda mais a se explorar/desenvolver com essa estória, logo espero uma continuação, isto é, se houver.
    Nota: 7,0 – Bom.

    • Adriano Saadeh

      1 de julho de 2014 em 10:18

      Essa série é foda

    • Cleysson Alberto

      27 de junho de 2014 em 12:21

      estoria nao existe cara caiu fas uns anos ja flw ve se apremde a escrever otario

      • DCemblemático

        27 de junho de 2014 em 14:49

        I mano tu também tem que aprender a escrever he-he-he

      • Lucas Rodrigues

        27 de junho de 2014 em 13:02

        Eu até iria explicar pra você a diferença entre história e estória, mas deve ser algo muito avançado pra sua mentalidade.

        • Sargento Genisclei Mata-Illuminate da Silva

          27 de junho de 2014 em 20:55

          Pelo que sei estoria não existe mais mesmo cara, mas não sei se adicionaram de novo na nova ortografia…

        • Cleysson Alberto

          27 de junho de 2014 em 18:27

          na vdd estoria nao esiste mais da uma procurada ai na nova ortografia fika usando foto de desenho se achamdo fodao

          • Satã

            8 de julho de 2014 em 13:50

            Bom cara, história é fato, algo q aconteceu e foi documentado, mas também pode ser uma matéria escolar, estória é ficção, um conto, como branca de neve, Cinderela, ou qualquer outra estória inventada.

    • Ponto.

      27 de junho de 2014 em 08:27

      Também lembrei das crianças que batiam nas portas, se não me engano foi em um dos “maiores misterios da humanidade” ja tem um tempinho isso xD

  15. Gabriel Florentino

    27 de junho de 2014 em 04:29

    Alguém percebeu que isso é minecraft? Kkkkk MT foda o monstro na verdade é um creeper

    • Dark_Night

      2 de julho de 2014 em 21:57

      No segundo parágrafo eu tinha me tocado disso. kkkk.

    • Adriano Saadeh

      1 de julho de 2014 em 10:17

      Make senses

    • Yure Heloel

      29 de junho de 2014 em 18:32

      e vdd cara eu tambem descobri isso kk XD

    • Blue

      27 de junho de 2014 em 12:52

      carvalho,agora que eu percebi,eu não percebi antes porque o cara disse que o monstro tinha escamas,quando na verdade eles são plantas,agora que eu entendi tudo,gostei do conto,nem percebi que era Minecraft,agora precisa de uma segunda parte com o Herobrine

    • Wayne Griffin

      27 de junho de 2014 em 11:49

      o cara viu um creeper?

    • Totalmente sem sal

      27 de junho de 2014 em 10:48

      Percebi também. Nunca achei que alguém realment escreveria um conto de terror baseado em Minecraft. Se o cara continuar a história seria interessante er ele descrevendo o encontro com Herobrine

    • Sargento Genisclei Mata-Illuminate da Silva

      27 de junho de 2014 em 05:21

      Pior que é mesmo, HUE.

  16. André Silva

    27 de junho de 2014 em 02:30

    Adorei o conto, foi daqueles que prenderam a minha atenção, não dava nem pra levantar e ir beber água, tive que terminar de ler. Ainda tenho que me acostumar com esses contos que acabam de repente, na melhor parte, mas gostei muito desse!

  17. Blue

    27 de junho de 2014 em 02:11

    eu sempre fico me perguntando,o que aconteceu? vai ter continuação? por favor coloquem um “continua…” se ainda não acabou,ou talvez um “e ele acordou/morreu” mas por favor,não terminem como se a tinta tivesse acabado,mistério é bom,mas aí ja é demais

    • Sargento Genisclei Mata-Illuminate da Silva

      27 de junho de 2014 em 10:27

      Acredito que não haverá uma continuação, pois esse conto foi claramente baseado no jogo minecraft, e provavelmente foi só uma “homenagem” a ele.

    • Jeff Dantas

      27 de junho de 2014 em 02:28

      Bom, eu recebi dessa forma, né? Mas acredito que tenha sim… 🙂

      • Blue

        27 de junho de 2014 em 03:04

        ja desisti de esperar continuações,esses textos acabam sem desfecho,acho que vou escrever um conto pra ver se dá certo

  18. Nameless

    27 de junho de 2014 em 01:45

    Apesar de toda a descrição, o frio do medo e a tensão do suspense pretendidos não surgiram em momento algum. Parece ter sido deixado um gancho para uma continuação no final. Se depender de mim, não existirá. Porém isso não depende de mim.

  19. Little Uchiha™

    27 de junho de 2014 em 01:21

    O título e a img me lembraram do mistério da humanidade dos muleque do zoi preto.

  20. Adriano Hidden®

    27 de junho de 2014 em 01:10

    olhos negros… esse conto me lembrou algo
    {‘ ) (‘-‘ ) (‘-‘) (._.) (‘-‘) ( ‘-‘) ( ‘}

  21. cara anonimo

    27 de junho de 2014 em 00:26

    Um dia irei colocar meu conto ai e vocês iram falar :
    – Caramba que conto bom o seu !
    E eu irei falar :
    – Eu sei disso meus gloriosos fãns ! 🙂

    • DCemblemático

      27 de junho de 2014 em 14:51

      Legal fera, já leu V De Vingança?he-he-he

      • cara anonimo

        27 de junho de 2014 em 18:50

        Ainda não, to duro ! -_-

        • Sargento Genisclei Mata-Illuminate da Silva

          27 de junho de 2014 em 20:59

          Então porque usa foto da mascara do Guy Fawkes usada no filme?

        • DCemblemático

          27 de junho de 2014 em 18:59

          Na net tem cara he-he-he

    • Emmanov Kozövisck

      27 de junho de 2014 em 14:15

      Escrevendo “fãns” ninguém dirá que seu conto é bom, hehe. Ok, parei.

      • DCemblemático

        27 de junho de 2014 em 14:53

        Você roubando o ” he” dos outros não irá ganha curtida he-he-he

        • Emmanov Kozövisck

          27 de junho de 2014 em 15:04

          O seu é he-he, o meu é hehe. Há uma clara diferença nisso. E eu não o uso em todas as postagens, ao contrário de você.

          • DCemblemático

            27 de junho de 2014 em 16:15

            Bom de qualquer jeito e plágio então para de me plagia seu plagiador he-he-he

            • Sargento Genisclei Mata-Illuminate da Silva

              27 de junho de 2014 em 20:57

              Processa ele, pois isso é roubo de PI, HUE.

  22. Terrorista

    27 de junho de 2014 em 00:21

    AI GENTE OLHEM PARA MIM
    SOU O USUÁRIO INTELIGENTE
    VEJAM COMO SOU FORMIDÁVEL
    UI MINHAS PIADAS SÃO ENGRAÇADAS
    AIN

    • Sargento Genisclei Mata-Illuminate da Silva

      27 de junho de 2014 em 20:53

      HUEHUEHUE Pra quem sera que foi essa merda? HUE

    • DCemblemático

      27 de junho de 2014 em 14:50

      Lobster tu é muito inteligente e engraçado manolo he-he-he

    • Emmanov Kozövisck

      27 de junho de 2014 em 14:16

      Esse é o Satirista do outro mundo…

      • Sargento Genisclei Mata-Illuminate da Silva

        27 de junho de 2014 em 20:54

        E o você do outro mundo é inteligente e fala coisa que presta, HEU

    • Arianne

      27 de junho de 2014 em 01:47

      Indireta.com

    • Gustavo Amorim

      27 de junho de 2014 em 01:31

      sqn

    • Sargento Genisclei Mata-Illuminate da Silva

      27 de junho de 2014 em 00:38

      WTF? HUE

    • cara anonimo

      27 de junho de 2014 em 00:27

      … Mas OQ ? … ._.

  23. Jeff Dantas

    27 de junho de 2014 em 00:12

    Ufaaaaaaaaaaaa!! Agora sim, o conto certo 🙂 ^^

    • Thamara Thais Nunes

      27 de junho de 2014 em 19:43

      Agora só falta a continuação vaii ter??

    • O Mentalista

      27 de junho de 2014 em 10:25

      E aí Jeff tudo ok?É que eu tô preocupado com o meu conto “O mistério de Oliver”. Não sei qual é a política que vocês usam, mas as partes estão ficando muito longe uma da outra(quanto ao tempo).

      • Jeff Dantas

        27 de junho de 2014 em 10:34

        Ah, não se preocupe! hehehe Será o próximo, fique tranquilo… 🙂

        • O Mentalista

          27 de junho de 2014 em 11:51

          Muito obrigado!

    • cara anonimo

      27 de junho de 2014 em 00:20

      Ate que enfim, eu achei que tava bugado ! .-.

      • Jeff Dantas

        27 de junho de 2014 em 00:21

        É isso aí.. e quem quiser, pode mandar matéria também. 🙂 ^^

        • Terrorista

          27 de junho de 2014 em 00:28

          Pode mesmo?

          • Jeff Dantas

            27 de junho de 2014 em 00:39

            Então, né? Depende da matéria… Se não tiver palavrões, xingamentos, ofensas… hahahahahah

            • Terrorista

              27 de junho de 2014 em 00:50

              tá qrendo dizer q eu falo essas coisas é?

              • Jeff Dantas

                27 de junho de 2014 em 00:51

                Nadaaaaaaaaaa, tô zuandoooo! rlxxxx 🙂 ^^

                • Terrorista

                  27 de junho de 2014 em 01:09

                  ata
                  entao ta desculpado

72 Comentários
Topo