Contos Minilua: O observador #82

Bem, e para participar do quadro, é muito simples: Para tal, envie o seu texto para: [email protected]! A todos, é claro, uma excelente leitura!




O Observador

Por: Rafaela dos Santos

Estava chovendo lá fora eu estava sentada em uma cadeira em uma mesa de bar, um homem sentou ao meu lado, começou a puxar assunto, perguntando o que eu estava achando do tempo frio. Nem liguei para o que ele dizia. Até ele dizer algo que me chamou atenção.

-Está vendo aquele cara lá trás?. - E apontou para um homem todo de preto sentado na última mesa. -Ele não tira o olho de você.

Quando me virei e encontrei os olhos dele,senti um arrepio por todo o corpo,o homem que estava do meu lado tinha razão,ele não tirava os olhos de mim.

Virei para frente assustada, isso nunca tinha acontecido antes, alguém me olhar e eu simplesmente me sentir tão assustada. Então fiz a burrice de olhar de novo. E lá estava ele, me olhando fixamente,com obsessão, como se só existisse eu ali.Senti medo,muito medo.

Me virei e terminei minha bebida.

-Te vejo por ai!-Eu disse ao homem do meu lado, eu nem sabia o nome dele.

-Me diga seu nome? -Me perguntou o homem segurando minha mão com força e olhando fixamente em meus olhos.

-Me solte! -Eu disse já puxando minha mão.

-Calma! Não queria te assustar eu me chamo Marcos.-Ele esticou a mão para que eu a apertar-se.

Eu me virei de costa e sai dali não via hora de chegar em minha casa.

Quando sai do bar percebi que o rapaz todo de preto estava saindo do bar também. Fiquei tão assustada que acelerei o passo. E ele também.

Acelerei tanto os passos que quando me dei conta já estava correndo…e ele estava correndo atrás de mim.Eu entrei em uma floresta que estava a minha frente. Tropecei nas pedras e cai dura no chão.

Quando virei meu rosto ele estava olhando fixamente pra mim.E estendeu a mão para me ajudar a levantar, eu o olhei com curiosidade,não imaginava isso. Eu estiquei meu braço e peguei na mão dele,

Foi algo tão estranho quando nossos dedos se tocaram. Quando fiquei de pé,o rapaz tirou o capuz que estava,ele tinha cabelos negros,e uma pele pálida,olhos escuros,e tinha um lindo sorriso no rosto.

-Me perdoe! Não queria assustar você.-Disse ele ainda segurando minha mão.

- Tudo bem eu pensei que você fosse me machucar por isso corri.

-É você tem razão eu vou sim machucar você.

Foi ai que senti uma pancada forte na cabeça e perdi a consciência.

Acordei sentindo muita dor de cabeça eu tinha levado uma coronhada que estava sangrando muito.

Eu estava amarrada em uma cadeira,o ambiente escuro, só tinha uma luz no fundo da sala,se é que era uma sala o lugar que eu estava.

Tentei me desamarrar mas as cordas estavam muito apertadas.

Comecei a olhar para os lados para ver se encontrava alguma coisa,ou alguém.

-Nem pense nisso!-Ouvi uma voz que vinha das sombras.-Demorei muito tempo para achar alguém como você.Bonita,esperta,e com atitude.

-Me deixe ir embora seu loco psicopata!-Gritei

Com toda a força que eu tinha.

-Claro, mas antes vou me divertir um pouco-Ele foi chegando mais perto,até eu poder ver o rosto dele.Era o mesmo homem que estava no bar.

Ele pegou um estilete e começou a cortar um de meus braços.Eu gritava e mandava ele parar mas ele continuava,ele até sorria em me ver sentir dor.Até eu dizer que não aguentava mais,ele riu e chegou mais perto do meu rosto e disse:

-Que isso meu amor estou só começando,você ainda vai sentir muita dor.-Ele fez um gesto com as mãos para chamar pelos outros,um deles acendeu a luz.Eu pude ver todo ambiente era um lugar sujo e tinha uma mesa com sangue seco.

blood hall

 Eu comecei a ficar bem assustada,um deles me desamarrou e me levantou da cadeira com brutalidade.Ele me levou para a mesa com sangue seco.Eu me debatia mas sentia muita dor no braço cortado,era um corte profundo que não parava de sangrar.

-Fica quieta!-Gritou o homem que estava me segurando com brutalidade.

 O outro homem que veio com ele o ajudou a me amarrar na mesa.Senti como se estivesse perto da morte.

Eu vi que eram três homens e cada vez mais eu sentia medo,muito medo.Fiquei observando tudo ao meu redor,tinha uma mesa com instrumentos de tortura, tinha sangue seco para todo lado, quando consegui virar meu rosto para meu lado direito pude ver nitidamente que tinha pedaços de corpos mutilados sobre uma mesa ensanguentada.

Meu medo foi aumentando a cada minuto. Como eu poderia sair daquele lugar? O que eu faria pra me defender? Eu sairia viva dali? Essas foram perguntas que eu ficava me fazendo o tempo todo.

Não demorou muito e as torturas começaram,comecei a gritar tanto que acabei ficando até sem voz.

 -Seus gritos são música para meus ouvidos-disse o homem de preto que agora olhava fixamente para um pote com ácido…

O que irei fazer agora pensei….

Continua….

Reaja! Comente!
  1. Cristiano Rufino

    29 de maio de 2013 em 18:05

    poderia ter sido melhor

  2. lethicia ribeiro

    5 de maio de 2013 em 14:39

    quando vai sair a parte 2? faz tempo que postaram esse história e até hj não postaram a parte 2

  3. Michele Felippe

    1 de maio de 2013 em 22:17

    Pode até ser clichê, mas eu teria corrido pra floresta também, mais fácil de se esconder, é claro, se tu nao for burra o suficiente pra cair na primeira pedra que aparece.

  4. Pássaro Dodô

    26 de abril de 2013 em 20:41

    Estou ansioso pela parte 2

  5. Erissa Darfis

    12 de abril de 2013 em 17:49

    Cadê a continuação?
    Sai ou não sai?

  6. Bruna L' Peterson

    4 de abril de 2013 em 22:26

    A segunda parte ta demorando ‘-‘

  7. Erissa Darfis

    31 de março de 2013 em 20:53

    Estou louca para sair a continuação,porém eu li tem uma semana ‘-‘…Jeff,vai sair,promete?

  8. Ana Carolina

    29 de março de 2013 em 17:46

    Quando vai ser a continuação?

  9. Ewerton Lima

    22 de março de 2013 em 14:05

    nao ta muito ruim..mas achei um pouco clichê demais…tipo sai correndo logo pra uma floresta..sempre cai…ficou meio que parecido com qualquer filme de assasinos que agente assiste em tela quente..

  10. FernandA Fefe

    21 de março de 2013 em 19:51

    otimo conto,to doida pra ver a continuaçao

  11. Li Syaoran

    21 de março de 2013 em 13:59

    Apesar de esse início ser meio sem pé nem cabeça me deixou curioso para a continuação.

  12. Shun

    21 de março de 2013 em 13:05

    Da hora o conto, mto bom ;)))

  13. Carlos Cadamuro

    21 de março de 2013 em 12:18

    ‘O’ tomara que ela sinta muita dor sqñ

  14. Marcelo Afonso

    21 de março de 2013 em 11:45

    Contos que envolven tortura me deixa meio angustiado. Muito tenso.

  15. Lia

    21 de março de 2013 em 11:14

    eu concordo que não está lá muito bem escrito

    uma das coisas que reparei foi na velocidade dos acontecimentos
    tem que criar um ambiente na história e só depois passar à ação
  16. Wagner

    21 de março de 2013 em 08:54

    Achei super clichê. Levar uma pancada e acordar em um local desconhecido e ser torturada.

    E tenho certeza que a falta de pontuação, o excesso de vírgulas e o “mais” ao invés de “mas” irrita muita gente.
    • Jeff Dantas

      21 de março de 2013 em 22:21

      Realmente, houve alguns errinhos.. De qualquer forma, já alterei todos os “mais”.. deixando apenas “mas”, como tem que ser. ^^

  17. Xion

    21 de março de 2013 em 00:20

    Um stalker psicopata…

    Deve ser um tio perdido meu.
  18. Rodrigo Santiago

    20 de março de 2013 em 23:29

    Tenso

  19. Ana Caroline

    20 de março de 2013 em 23:03

    Adorei o conto… Estou curiosa, o que será que irá acontecer com a moça?!

    Tomara que postem a parte 2 logo ^.^
  20. PATROCINADOR

    20 de março de 2013 em 22:56

    CONTOS MINILUA: O STALKER

  21. Lord Geo Dampierre

    20 de março de 2013 em 22:55

    eu esperava  um conto de suspense .-.

    • jeff zika Mc

      20 de março de 2013 em 22:59

      suspende 

      • Lúcifer

        20 de março de 2013 em 23:57

        Os carros são como as lanchas 

        • Xion

          21 de março de 2013 em 00:33

          As motos são como Jet-Skis.

          E use camisinha e se previna contra a dengue.
          Não pera…
26 Comentários
Topo