Contos Minilua: Não tenha medo da escuridão #150

Sim, e desde já, contamos com a sua participação. O e-mail de contato: [email protected]! A todos, uma excelente leitura!




Não tenha medo da escuridão

Por: Camila Oliveira

gato

Em uma fria e escura noite de domingo, Christine acabara de despedir-se de seus pais, que haviam saído para ir em uma festa de casamento. A menina estava deitada na cama de seu quarto, com seu gato Felix, deitado em cima de seus tornozelos. Christine estava a ler um livro, quando começou a sentir sede. Resolveu pegar um copo d’água na cozinha.

Ela levantou-se da cama e arrumou os lençóis, dizendo para o gato  - Já volto, irei tomar uma água. E o simpático gatinho preto olhou, com seus olhos grandes e amarelos, para o rosto de Christine, dando a impressão que estava concordando.

A  casa da menina era grande e fria. A cada passo, uma sensação gélida surgia dos seus pés até sua cabeça, como um arrepio congelante. Christine descia as escadas com pressa pois estava sozinha em casa, e estava muito escuro.

Quando chegara na cozinha, uma brisa sombria atravessou a fresta da janela, fechando a porta da cozinha levemente. Christine enquanto colocava água em sua caneca, percebeu que a porta se fechou, e logo foi abri-la novamente. A porta foi aberta, porém, uma coisa Christine notou: O tapete que cobria os degraus das escadas estava desarrumado.

Sem se importar, a menina quando terminou de beber a água, deixou o copo em cima da pia e logo caminhou até a porta da cozinha. Quando saiu de lá, ouviu seu gato miando muito alto, um miado de dor, de desespero. Um miado sombrio.

Christine se apavorou e exclamou:

- Felix, o quê aconteceu?! Estou indo, estou indo!

Enquanto subia as escadas desesperadamente, ouviu algo se quebrando no banheiro. Mas não se importou, queria saber se seu gato estava bem, acima de tudo. Christine chegou em seu quarto… E nada viu. Apenas seu livro rasgado, mas não eram as garras de seu gato que haviam arranhado o livro… Eram garras enormes, a profunda marca deixada no livro fez Christine ficar totalmente em pânico.

Olhou pela janela, e nada viu. Pegou seu celular que estava em cima da escrivaninha, porém, ele não ligava. O mesmo com o telefone que ficava no criado-mudo, ao lado de sua cama. 

Christine começou a ouvir gemidos baixinhos, ecoando em sua grande casa, e não pensou duas vezes. Trancou a porta de seu quarto, e se cobriu com o edredom em sua cama, rezando para que seus pais chegassem logo.

Embaixo do edredom, Christine percebeu que aquele gemido, na verdade, era uma melodia. Uma melodia sádica. Uma melodia sombria.

Aquilo ia ficando mais alto, como se estivesse se aproximando lentamente. As lágrimas escorriam pelo rosto de Christine, mas como no livro que ela estava lendo, ela tinha que ser corajosa e enfrentar o problema.

Christine rapidamente jogou o edredom para longe e levantou de sua cama. Ela abriu a porta rapidamente, e exclamou:

- Quem está aí? Apareça!

A melodia parou. Christine olhou para ambos os lados do corredor, que estavam escuros, porém, não viu absolutamente nada. A menina lembrou do barulho que escutou vindo do banheiro, e em uma atitude corajosa, foi ver o que havia acontecido.

O banheiro estava em um estado sádico. O cheiro de carne podre naquele local era evidente. Christine olhou para a banheira, e lá estava o seu gato, boiando na água, com os olhinhos fechados e uma expressão evidente de medo. Christine tentou ressuscitá-lo, porém, ele não dava mais sinal de vida. 

A menina se desesperou, e logo desceu as escadas novamente para sair da casa e buscar ajuda. A porta estava trancada, e a melodia logo voltou. 

A menina chorava e gritava desesperadamente, pedindo ajuda, mas a casa estava totalmente fechada. Logo, todas as luzes se apagaram. A melodia parou. Christine fechou os olhos, porém, sentiu novamente uma brisa em seu corpo.

Christine virou para trás, ainda de olhos fechados.A menina logo foi abrindo seus olhos cautelosamente e devagar, erguendo a sua cabeça ao mesmo tempo.Quando abriu seus olhos, grandes olhos amarelos e um sorriso com dentes afiados estavam em sua frente, era a única coisa que ela enxergava naquele escuro.

Christine olhou para o chão. E lá, de repente, estava o seu gatinho, sentado, apenas olhando-a.

Reaja! Comente!
  1. SUPERL40000 Gamer

    3 de março de 2014 em 20:59

    alguem presissa me ajudar e rapido porfavor eu imploro

  2. Mindy Marina

    19 de dezembro de 2013 em 22:19

    Agora deu pra colocarem gatos pretos como se fossem demônios, vão se f u d e r todo mundo, gatos pretos são lindos, eu já tive uma, mas ela morreu de doença, agr tenho uma siamesa, Alice

  3. Garota Infernal

    19 de dezembro de 2013 em 20:40

    Camila Oliveira… Acho que já falei com ela no chat… Não sabia que escrevia… Bom, vamos a crítica.
    Bom, serei sincera, a história é clichê, um típico conto do minilua sobre uma noite fria e um adolescente em casa sozinho, e neste tipo de conto, a única coisa que pode salva-lo, a meu ver, é a Arte Surrealista. Eu achei o estilo do conto um pouco inapropriado, ela poderia ter tentado algo que deixe o leitor mais envolvido, algo que torne ele mais próximo. Gostei da brincadeira com o gato, acho que poderia ter aproveitado melhor, ou ter contado mais, ter tornado-o mais longo e ter estendido o tempo com Christine colocando elementos mais interessantes na história. Mas não posso dizer que é um conto ruim, é uma ótima cena de filme de terror, e quando digo isso não digo de forma sarcástica ou negativa, digo que Camila sabe fazer um trecho de terror, só que ele tem que fazer parte de algo maior e tem que envolver melhor o leitor.
    Prós: Bem elaborado, quando o leitor se coloca na situação de Christine ele sente medo.
    Contras: Deveria fazer parte de algo maior, um conto maior.
    Nota: 8,0

    Não estarei escrevendo outros contos pois estou gastando meu (pouco) tempo com “A pele que habito”. Acabei de postar a parte 3 e espero que apreciem. É uma leitura difícil até que se saiba mais sobre a vida da personagem, e o que resta é esperar. Seus comentários são importantes para mim, ficaria honrada se comentassem aqui ou lá.
    http://contosocontadordehistorias.blogspot.com.br/2013/12/sem-narracao-s-enfermeiras-alice-e.html

  4. C&A De Pegaso (tobi)

    19 de dezembro de 2013 em 16:42

    -Pelo meu whyskas!!

  5. Henrique Cardoso

    19 de dezembro de 2013 em 14:21

    Resumindo:Gatos são demoníacos.Tenha medo deles.

    • Mindy Marina

      19 de dezembro de 2013 em 22:20

      Resumindo: Gatos são fofos, carinhosos, lindos e perfeitos. E as pessoas gostam de julgá-los como se fossem “demoníacos”. Tenha medo dessas pessoas.

  6. Dark J

    19 de dezembro de 2013 em 10:56

    -Fantasma. No ceú tem gato?
    E morreu

  7. Dark J

    19 de dezembro de 2013 em 10:55

    -Fantasma. No ceú tem gato?
    E morreu

  8. Arceus

    19 de dezembro de 2013 em 09:26

    mais ou menos…

  9. Lucas Rodrigues

    19 de dezembro de 2013 em 07:25

    Conto com uma linguagem simples e direta, dando ênfase aos detalhes. A questão fica em aberto: Seria o gato uma espécie de demônio disfarçado? Enfim, esse é o mistério que se cria no final do conto, final este que achei muito rápido, apressado demais, quando chega no trecho: “Quando abriu seus olhos, grandes olhos amarelos e um sorriso com dentes afiados estavam em sua frente…” deu a entender que ali começa o clímax do conto, achei que a personagem lutaria para escapar do tal ser de dentes afiados. Mas achei o mistério bem introduzido, interessante. Mas a história precisava de um pouco mais de movimento, de ação.
    Nota: 7,0 – Bom 🙂

    • Dark J

      19 de dezembro de 2013 em 11:05

      “Tem certas coisas, que é melhor a gente levar para o túmulo” -Algum idiota de Pokémon X/Y que alegou ter visto homens sem rostos

    • Jaque-chan

      19 de dezembro de 2013 em 10:00

      Concordo… :s
      Já li contos melhores aqui no ML… ‘-‘
      Quando falou dos grandes olhos e um sorriso com dentes afiados, eu fiquei lá, tipo: “Isso não era um conto de terror? Por que o gato lá da Alice apareceu aí? .-.”
      ‘-‘

      • Lucas Rodrigues

        19 de dezembro de 2013 em 10:07

        Realmente criar uma história que faça o leitor se emocionar, se empolgar e se entreter é uma tarefa extremamente difícil, digo isso porque também sou escritor e sei a dificuldade que é fazer com que os leitores se identifiquem com a história. Mas não se pode agradar a todos né, sempre vão ter uns que vão gostar e outros que vão criticar.

        • Jaque-chan

          30 de dezembro de 2013 em 19:03

          Verdade… Sou uma Fic-Writer, e sei que é difícil… Principalmente porque minha fic tinha pouquíssimos leitores no começo, mas agora já está aumentando a quantidade… ^^”
          Tem uns que amam, dizem que é incrivelmente original(o que eu não posso negar, porque ninguém nunca teria a mesma ideia que eu tive, não querendo me gabar…), mas sempre tem outros que dizem que é um lixo, e que minhas ideias são toscas (o que eu também não posso negar. Kkkk’). Só porque eu fiz Pokémons lendários virarem humanos… ¬¬”
          Escrevo outras histórias também, e sei bem do sofrimento que é escrever. ;/

    • Arceus

      19 de dezembro de 2013 em 09:27

      Fala Brotha!

      • Lucas Rodrigues

        19 de dezembro de 2013 em 09:31

        Oi cara. Tudo bem? 🙂

        • Arceus

          19 de dezembro de 2013 em 10:11

          Tudow… Fiquei um tempo sem commentar porque meu PC pegou um vírus do K-7, mas ano que vem vou estrear o novo (como se alguem se importasse)… Queria saber quando sai a 3° parte de o Agricu… quer dizer “O Ceifador” ^^ e o que aconteceu de interessante no site quando eu fiquei ausente… ^^

          • Lucas Rodrigues

            19 de dezembro de 2013 em 10:20

            A parte 3 do Ceifador já saiu, aqui está ela:
            [img]http://luadesangue.com/contos-minilua-o-ceifador-parte-iii-149/[/img]
            Acho que eu também ficarei um tempo sem comentar, tem coisas muito importantes que merecem minha atenção. (ex: a terrível recuperação) Eu bem que queria passar o natal e o ano aqui no site, mas acho que não vai ser possível. Então, já desejo, antecipadamente, um feliz natal e feliz ano novo pra tu cara XD

  10. Moonlight

    19 de dezembro de 2013 em 03:54

    Fui só eu que não conseguiu ler até o final? tipo são 3:00 da manhã, eu num tenho coragem de ler esse troço naum véi, tá loko!

  11. Finn

    19 de dezembro de 2013 em 01:37

    Isso que da ter gatos… .-.’

    • Mindy Marina

      19 de dezembro de 2013 em 22:21

      Eu tenho ‘-‘ e ela é mt, mt, mt mais carinhosa que meu cachorro ‘-‘ e ela não é possuída por 7 bestas do apocalipse ‘-‘

  12. Luís Felipe

    19 de dezembro de 2013 em 01:30

    Tava olhando o “Ideias” do Minilua hj. Nunca antes havia percebido quantos idiotas habitavam este domínio.

  13. Litzen Vampiro

    19 de dezembro de 2013 em 01:20

    Parecia que ia ficar mais interessante, mas acabou muito rápido…

  14. Luís Fellipe

    19 de dezembro de 2013 em 01:18

    Eu tenho 3 gatos aqi em casa,1 branco,1 rajado e 1 preto

    e 2 cachorros

    e um hamster tb e uns peixes

    dahora o zoologico né huehe

    • Garota Infernal

      19 de dezembro de 2013 em 22:28

      Eu tenho 8 gatos, 2 adultos e 6 filhotes. 3 rajados, um preto e branco, 2 brancos e 2 pretos.

    • Jaque-chan

      19 de dezembro de 2013 em 09:55

      Cadê os coelhos?? 🙁

    • ultramen Tiga

      19 de dezembro de 2013 em 06:43

      eve ter até umas tartarugas e talz

    • ultramen Tiga

      19 de dezembro de 2013 em 06:43

      sim poxa não tem coelhos porcos da índia e pássaros e outras coisas?XD

  15. Laudy Morena

    19 de dezembro de 2013 em 01:09

    -Como Não Encarar Os Fascinantes Olhos Amarelos De Um Gato Preto??
    ^.o

  16. Mr. Time

    19 de dezembro de 2013 em 00:44

    Legal, não o suficiente pra dar muito medo, mas também não vejo uma boa história de terror faz muito tempo

  17. Shun dlç

    19 de dezembro de 2013 em 00:07

    É por isso que prefiro cachorros ‘-‘

  18. Vayne, A Caçadora de Travestis

    18 de dezembro de 2013 em 23:57

    [img]http://forgifs.com/gallery/d/214378-1/Cat-santa-hat.gif[/img]

    • Letícia Lage

      19 de dezembro de 2013 em 20:53

      eu ri XD

    • Jaque-chan

      19 de dezembro de 2013 em 09:57

      WTF?

    • Luís Fellipe

      19 de dezembro de 2013 em 01:24

      isso me deu medo

    • Terrorista

      19 de dezembro de 2013 em 00:38

      Que nojo

  19. Dunha

    18 de dezembro de 2013 em 23:54

    só viado para ter medo disso,estou com muito medo

  20. Lucas D

    18 de dezembro de 2013 em 23:47

    Gatos são do cramulhão mesmo, ficam enganando as pessoas com esses jogos mentais.

  21. Jeff Dantas

    18 de dezembro de 2013 em 23:46

    Não sei pq, mas eu gostei desse gato! http://luadesangue.com/wp-content/uploads/2013/12/gato.jpg

    • Lucas Rodrigues

      19 de dezembro de 2013 em 07:26

      Se eu tivesse um desses cuidaria com todo o prazer 🙂

    • ultramen Tiga

      19 de dezembro de 2013 em 06:35

      gatos eu gosto de gatos.

      • Felino

        19 de dezembro de 2013 em 18:56

        CARA ME ADD NO ORKUT EU AMO GATOSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS

    • Terrorista

      19 de dezembro de 2013 em 00:45

      Apesar de ter as mesmas capacidades de um gato branco ele recebe um salário menor. Isso é a maior prova que o mundo é cheio de preconceitos! #DigaNãoAoRacismo

  22. Bruna Maria

    18 de dezembro de 2013 em 23:43

    Wat? First?

    • ultramen Tiga

      19 de dezembro de 2013 em 06:35

      não foi dessa vez XD

  23. kadu-play

    18 de dezembro de 2013 em 23:42

    Nem li 😛

46 Comentários
Topo