Contos Minilua: A Criatura #202

Pois é, e lembrando, quem quiser, pode mandar matéria também. O e-mail de contato: [email protected]! A todos, uma excelente leitura!




A Criatura

Por: Gustavo Toscan

the creature

Seus olhos mal piscavam naquele momento, tudo que ele conseguia fazer era ver o diminuto corpo caído no chão. O sangue ainda fresco saía da cabeça tingindo o chão de madeira do quarto, enquanto ele permanecia imóvel com os olhos ainda abertos olhando para o teto. Ele podia jurar ouvir o respirar fraco vindo do corpo, mas sabia que era apenas a sua mente lhe pregando uma peça de mau gosto. Mas o cadáver da sua filha não era o que mais chamava a atenção dentro do quarto escuro, iluminado apenas nos momentos em que os raios desciam dos céus lá fora e clareavam o cômodo. Era a criatura que havia ceifado a vida da pobre criança.

Aquela pobre garota, com seus não mais de seis anos, jazia morta com um olhar assustado como seu pai nunca vira nesse pouco tempo de vida que ela teve. Ele recordava vividamente o sorriso dela com alguns dentes ainda faltando quando eles brincavam juntos no quintal de casa, a maneira feliz e inocente com a qual sorria para praticamente qualquer coisa independente dos problemas, afinal ele não era um pai exemplar, mas amava sua filha como qualquer outro pai faria.

E agora ela estava diante de seus pés sem sequer um resquício da alegria que tinha em vida, as marcas de arranhões em seu rosto já pálido e gélido. Os finos fios loiros de seu cabelo estavam agora sujos de sangue. As mãos já duras ainda seguravam a pequena boneca que ela havia recebido como presente de sua já finada mãe.

O pai estava sentado em sua velha cadeira de madeira os braços já carcomidos pelo tempo. Ele ouvia, além do som da chuva, o leve ranger da cadeira enquanto ela balançava lentamente para frente e para trás mesmo sem quase nenhum movimento dele. E acima de tudo ele fitava com medo a criatura que havia levado o que restava de alegria em seu coração, e o maldito o encarava novamente sem qualquer tipo de expressão, sem qualquer forma de remorso pela ação que havia cometido há pouco.

Um ato de covardia sem tamanho, ao qual ele buscava algum tipo de explicação em sua mente ainda perturbada pelos fatos recentes. Ele buscava alguma explicação. Por que alguém mataria sua filha que nunca fez mal a ninguém? Sua cabeça doía e seu corpo imóvel era incapaz de fazer qualquer ação. A criatura continuava o encarando, às vezes desviando rapidamente o olhar para contemplar seu feito.

O rosto completamente pálido da criatura com aquela expressão morta causava náuseas ao homem, mas ele era incapaz de parar de fita-lo. Seus olhos profundos, secos e sem vida davam calafrios e o enojavam ainda mais. Aquilo não pertencia a esse mundo, era podre demais, não deveria estar aqui e sequer tinha esse direito. Ele sabia o que deveria fazer, estava com seu revolver carregado na mão, estendido sobre do braço da cadeira.

Era sua única chance. Ele não conseguia mais suportar olhar para aquela criatura que o encarava como se nada tivesse acontecido, como se não soubesse que era o responsável por aquela atrocidade a vida de uma criança inocente. Não, ele não aguentava mais, precisava fazer aquilo. Seu nojo desapareceu subitamente sendo substituído por uma raiva colérica.

O homem rapidamente se levantou da cadeira em um impulso que a arremessou contra o chão e com o revólver em punho olhou pela última vez nos olhos da criatura, que dessa vez lacrimejavam, mas ainda o encaravam. E enfurecido com a imagem que via no espelho, colocou o cano do revólver na boca e disparou.

Reaja! Comente!
  1. Gaguinho Play

    8 de outubro de 2014 em 14:25

    Pow Jeff essa criatura me lembra o Diablo do game Diablo 3 Pra quem nao conhece Diablo 3 é um game atualmente para PS3 , Xbox360 e PC criado pela Blizzard Entertaiment(mesma empresa do WoW Word of Warcraft)
    [img]http://eukito.com.br/wp-content/uploads/2012/06/Diablo-III-11.jpg[/img]

  2. Garoto invernal

    6 de julho de 2014 em 09:39

    Quanta bobagem,cada conto pior que o outro,queria saber onde encontram tempo para escrever isso.Clichê.

  3. Marvelunatico

    1 de julho de 2014 em 20:13

    Me lembrou muito aquele filme: Amigo Oculto

    [img]http://1.bp.blogspot.com/-WKDnq-4FCmc/Uzb4vZVMlPI/AAAAAAAAACk/WNSeVE2-6mI/s1600/1473311746.jpg[/img]

    [img]http://cdn-media.hollywood.com/images/625×625/1638591.jpg[/img]

    [img]http://3.bp.blogspot.com/-s9KZEMZJ5v0/UJFLkcGm4aI/AAAAAAAAAVQ/ABH0QJb8z64/s640/filme4.jpg[/img]
    Um dos melhores filmes que já vi.

    • Lucas Rodrigues

      1 de julho de 2014 em 21:37

      Concordo. Me serviu de inspiração pra um conto de tão satisfeito que fiquei após assisti-lo.

      • Marvelunatico

        1 de julho de 2014 em 22:34

        Acho que vou até assistir de novo! Pelo final pensei que teria um segundo filme :/

  4. Blue

    30 de junho de 2014 em 17:12

    gostei muito,10/10,o final foi muito bom,o jeito de mostrar a terrivel criatura cruel e o pai que ama sua filha e depois revelar que são o mesmo personagem,precisamos de mais contos assim

    • Blue

      30 de junho de 2014 em 17:15

      não foi o melhor que eu ja vi,mas foi o melhor entre os atuais,a qualidade dos contos não ta muito boa ultimamente

  5. Dr.V

    30 de junho de 2014 em 16:09

    Ótimo conto.Mesmo sendo meio clichê e curto,mas achei interessante.Digno de uma nota 7,5.

  6. Lucas Rodrigues

    30 de junho de 2014 em 13:17

    Mais um conto curto. Não que eu não goste, mas se é pra ser curto e direto precisa-se ter uma estória convincente. Senti o drama do personagem principal, pra mim o tal homem foi o foco desse conto, a criatura só foi uma espécie de antagonista de luxo para dar o toque macabro e assustador no enredo. Após ler senti que não li um conto inteiro, apenas o seu clímax. Apesar de curto não percebi a pressa de se chegar ao desfecho.
    Porém, a premissa é clichê e o desenvolvimento é mediano. E nada melhor do que dar a nota mais justa para um conto mediano.
    Nota: 6,0 – Regular.

    • Lucas Rodrigues

      30 de junho de 2014 em 13:25

      Adendo: Vendo os comments acima me dei conta de que o homem é a própria criatura. Na verdade eu já tinha esta interpretação na minha mente, só não quis mostra-la por me parecer equivocada, mas depois de uma análise/releitura do parágrafo final e vendo os comments percebi que é a certa.
      Mas isto não anula o que disse acima. Que o antagonista serviu de luxo para o enredo. A criatura foi o artifício utilizado pelo autor para dar a característica do personagem e dar certo peso ao conto.

      • King Bradley, Führer

        30 de junho de 2014 em 16:14

        a palavra que definiu isso foi, espelho. Essa palavra deu a entender que o homem era o próprio monstro, se nao fosse isso seria outra coisa.

  7. Henrique Almeida

    30 de junho de 2014 em 12:46

    O que o pobre Diablo tem a ver? Ele não é uma criatura malvada, ele incentiva o consumo de vegetais e a escovação dos dentes apos cada refeição, isso é ser uma criatura? #mudeaimagemjeff

  8. Guilherme Henrique

    30 de junho de 2014 em 06:57

    Não se preocupem, vou entrar no meu Diablo 3 e mata-lo pra vcs.

    • Henrique Magalhaes

      30 de junho de 2014 em 17:55

      ja matei duas vezes em 3 histórias

  9. Wolf Mar

    30 de junho de 2014 em 03:25

    Interessante,é meio clichê mas tá valendo,todos nós temos um monstro guardado consigo que um dia vai explodir se não tomar cuidado, as pessoas se perguntam por que serial killers matam com frieza e raiva alguém que nunca viu ou que é da sua própria família,e é por que não sabem administrar o bem e o mal na cabeça

  10. Ramon Rm

    30 de junho de 2014 em 03:08

    Alguem pode resumir pra mim , cansei de ler no primeiro parágrafo.

    • King Bradley, Führer

      30 de junho de 2014 em 09:37

      deixa de preguiça e ler o resto. O texto nem é tão grande assim. Mania desgraçada de br não ler as coisas direito, imagine isso num enem com aqueles textos enormes.

      • Ramon Rm

        30 de junho de 2014 em 20:29

        BR é BR huehuehue

        [img]http://cotovelodeformiga.com.br/wp-content/uploads/2014/05/HUEHUEHUE.png[/img]

      • Ramon Rm

        30 de junho de 2014 em 20:19

        eu comentei isso de noite tava morrendo de sono

    • DCemblemático

      30 de junho de 2014 em 08:34

      O pão do garoto tinha uma habilidade de virar uma criatura, nisso ele mata o filho depois se mata, sendo que ele não morre e entra para um grupo de super heróis he-he-he

      • DCemblemático

        30 de junho de 2014 em 08:37

        Lol saiu ” pão” mas é ”pai” he-he-he

  11. Garota Infernal

    30 de junho de 2014 em 01:29

    É interessante que o elemento chave seja a distorção da face em psicóticos. Em certos estágios de certas doenças eles veem sua face mudar.
    A chave do enigma é tão súbita, é como se eu estivesse olhando para o céu e quando fosse dizer algo essa chave entrasse pela minha garganta e eu morresse engasgada por ela, ali, no fim, no último parágrafo.
    Todo conto merece ser maior.
    [i]Eu amo quando a realidade perturbadora de uma mente insana é respeitada na ficção.[/i]
    [b]Nota: 10[/b]

    • Vinicius Passos

      30 de junho de 2014 em 11:42

      Já leu A Mão do Macaco? Eu li ontem, é incrível.

  12. Paulo Cesar

    29 de junho de 2014 em 23:38

    Essa história serve para mostrar que os maiores monstros de todos, não são aqueles dos filmes, mas sim pessoas que tenha armas, filhas , espelhos e tendências homicidas e suicidas.

    • Vinnie Tamanhoni

      1 de julho de 2014 em 10:34

      Mas principalmente,não tenha espelhos

  13. Um qualquer

    29 de junho de 2014 em 23:04

    Certas frases no meio do texto já deixaram claro qual era o final, mas gostei do conto.

  14. Nameless

    29 de junho de 2014 em 23:01

    Quando a leitura começou pensei se tratar de mais um maldito conto de terror clichê, mas no finalzinho houve uma surpresa, então tomou meu like.

  15. Vinicius Passos

    29 de junho de 2014 em 22:48

    Ótimo conto, prende a atenção, os parágrafos 2 e 3 foram muito importantes, tenta te criar o msm sentimento do pai. A seguir, achei arrastado, como se fosse uma construção óbvia e com a chegada do final senti uma decepção, mas a última frase foi surpreendente. Muito bem disfarçado, ótimo conto.

  16. André Silva

    29 de junho de 2014 em 22:32

    Que trollagem da porra!! Eu pensei que ele ia matar a criatura (que pela descrição me lembrou a criatura de ”A expressão”), mas não, se matou.

    • Homer the Sage

      1 de julho de 2014 em 00:59

      A “criatura” era ele…

    • Um qualquer

      29 de junho de 2014 em 23:03

      Ele era a criatura

      • André Silva

        29 de junho de 2014 em 23:45

        “[…] e o maldito o encarava novamente”
        “[…] A criatura continuava o encarando, às vezes desviando rapidamente o olhar para contemplar seu feito.”
        “[…] O rosto completamente pálido da criatura com aquela expressão morta causava náuseas ao homem, mas ele era incapaz de parar de fita-lo”
        “[…] olhou pela última vez nos olhos da criatura”.
        Eu ainda pensei que seria ele, mas essas passagens que coloquei acima me deixaram confuso, dando a entender que não era ele.

        • Um qualquer

          30 de junho de 2014 em 01:20

          “[…] e o maldito o encarava novamente” -> Ele estava encarando o espelho, e naturalmente o reflexo irá encará-lo 🙂

          “[…] A criatura continuava o encarando, às vezes desviando rapidamente o olhar para contemplar seu feito.” -> Essa foi pra gerar confusão, mas mesmo olhando pro espelho, da pra olhar de lado e manter uma visão parcial de seu reflexo.

          “[…] O rosto completamente pálido da criatura com aquela expressão morta causava náuseas ao homem, mas ele era incapaz de parar de fita-lo” -> acho que ele era meio bipolar.

          “[…] olhou pela última vez nos olhos da criatura”. -> Reflexo entra em cena novamente.

          • André Silva

            30 de junho de 2014 em 01:38

            Valeu por esclarecer 🙂

            • Um qualquer

              30 de junho de 2014 em 11:16

              Por nada 😀

  17. Thamara Thais Nunes

    29 de junho de 2014 em 22:04

    Ele matou a filha, e depois se matou?? rsrsrs.. pelo menos foi isso que entendi!!

    • Adriano Saadeh

      1 de julho de 2014 em 09:47

      Er.. Eu também entendi dessa forma

    • Um qualquer

      30 de junho de 2014 em 01:21

      Bingo. Ele era a criatura.

  18. Forasteira

    29 de junho de 2014 em 22:00

    Por mais que eu já tenha esperado por tal final, gostei da trama. Um dedão procê.

    • Wayne Griffin

      29 de junho de 2014 em 22:02

      Mentalizou o final ou teve spoiler?

      • Forasteira

        30 de junho de 2014 em 15:51

        Eu só imaginei mesmo. Anos de experiência lendo creepypastas e quase nada mais vai te surpreender.

      • Wayne Griffin

        29 de junho de 2014 em 22:07

        Afinal cadê o Mentalista acho que trollaram ele…

        [img]http://s1273.photobucket.com/user/vinicin-vnc/media/43c6b43b-9ff2-46f0-b089-bf0b81c5c1de_zpseda5ccd9.png.html[/img]

        • Jeff Dantas

          29 de junho de 2014 em 22:15

          Nossa, eh mesmoooooo! Acabei esquecendo… 🙂 Será o próximo, sem falta!!!

          • Terrorista

            30 de junho de 2014 em 02:08

            TRONSÃO

  19. Wayne Griffin

    29 de junho de 2014 em 21:47

    Gostei da quebra de expectativa, mas por um momento pensei que o cara ia atirar no espelho.. hue

  20. cara anonimo

    29 de junho de 2014 em 21:43

    Toda noite eu vejo um monstro embaixo da minha cama depois vejo que é só minha irma ._..

    • Adriano Saadeh

      1 de julho de 2014 em 09:46

      LOLOLOLOLOL

    • Forasteira

      29 de junho de 2014 em 22:01

      “Humanos também sabem lamber…” HAHAHAHAHA

      • Ciclista Velame

        30 de junho de 2014 em 09:49

        (aquela carinha que eu não sei fazer)

      • Frozen Fire

        29 de junho de 2014 em 22:46

        Um dos melhores contos que já li. Pena que é bastante curto

        • Garota Infernal

          30 de junho de 2014 em 00:58

          Na verdade é uma lenda urbana americana como Blood Mary e Cachorro no Microondas.

          • Frozen Fire

            30 de junho de 2014 em 01:09

            Eu sabia que não era bem um conto, mas não achava o termo certo para descrever…

        • cara anonimo

          30 de junho de 2014 em 00:24

          valeu ;D

    • Forasteira

      29 de junho de 2014 em 21:59

      Se você dorme em uma beliche, mija na cama hauahuahuhauhauhauha

    • Ricardo

      29 de junho de 2014 em 21:52

      Você dorme na parte de cima do beliche? kkkkkkk

    • Jeff Dantas

      29 de junho de 2014 em 21:49

      Nossa, q maldadeeeee!! Tadinha dela… 🙂

  21. Ezio Auditore

    29 de junho de 2014 em 21:41

    So postam essas coisas de noite..amanha eu leio to sem tempo…

  22. Jeff Dantas

    29 de junho de 2014 em 21:40

    • Matheus de Lima

      20 de agosto de 2014 em 18:02

      esse mano ai é do jogo diablo

    • Death

      3 de julho de 2014 em 15:51

      PARCEIRO AQUI NO TRAMPO

    • Wellison Vieira Custer

      30 de junho de 2014 em 11:26

      Claro que é simpatico éo diablo do jogo diablo 3 eles só tiraram a parte aonde taca escrito diablo 3

    • cara anonimo

      29 de junho de 2014 em 21:40

      Diablo 3 ? *-*

65 Comentários
Topo