Lua de Sangue

Contos Minilua: A Criatura do Sótão #251

Pois é, e lembrando que todos os temas são aceitos: Suspense, mistério, terror, enfim! Sinta-se à vontade ok? O e-mail de contato, claro: Jeff.gothic@gmail.com! A todos, uma excelente leitura!

A criatura do sótão

Por: Tommy Larsen

Bruno tinha medo do sótão. Ele dizia que lá havia monstros. Os seus pais, no entanto, não acreditavam no menino, diziam que era apenas sua imaginação. No começo, o menino também achava, mas um dia, quando subiu as escadas, ele finalmente viu a criatura que lá vivia. Felizmente ela não era como o menino havia imaginado.

Olhos se abriam na escuridão, olhos azuis e limpos como o céu daquela tarde. E uma boca se abriu debaixo dos olhos, formando um sorriso gentil – Olá Bruno – pronunciou a boca – Você finalmente veio me ver.

Bruno ficou surpreso com o ser que estava a sua frente. Ele havia imaginado algo terrível com grandes olhos vermelhos com um longo sorriso cheio de dentes afiados, mas o ser era o oposto.

– Quem é você? – pergunto Bruno curioso.

– Eu sou aquele que vive no seu sótão – respondeu a criatura.

– Não é isso – disse Bruno – Queria saber o que você é e porque você só tem olhos e uma boca.

– No começo eu não era assim. Antes eu tinha um corpo, e ele era muito belo. Ele se parecia com o seu, mas eu tinha asas.

– Então você era um anjo?

– Sim.

– O que aconteceu com seu corpo?

– Foi em uma guerra, uma revolta para dizer a verdade, por um propósito que há muito tempo parecia ser certo. Mas agora eu já não tenho certeza.

– Qual foi o propósito?

– Liberdade.

O ser na escuridão deu um suspiro e disse: – Eu não estou aqui para lhe explicar toda a história. Estou aqui para pedir sua ajuda. Meu lado esta perdendo e precisamos de todo ajuda possível. Você poderia me ajudar?

– Sim. O que eu tenho que fazer?

– Apenas me aceite em seu coração quando eu pedir.

– Eu farei.

– Então diga sim.

– Sim – disse Bruno segurando o seu peito.

Foi ai que o menino percebeu seu erro. O ser na escuridão que dizia ser bom deu uma risada. Uma risada estranha e perturbadora.

– Senhor anjo, está tudo bem?

– Sim. Está ótimo – disse o tal anjo com uma voz grossa e assustadora. O menino então viu o anjo se tornar em seu pior pesadelo. Ele saiu da escuridão mostrando seu real rosto. Um rosto negro com olhos vermelhos e uma grande boca cheia de dentes como Bruno havia imaginado – Agora se junte a mim e sofra por toda eternidade garoto.

O menino se virou e correu. Mas foi pego pelos braços do monstro – Aonde pensa que vai? A diversão está apenas começando – Bruno foi levado pelo monstro para a escuridão e desapareceu. Deixando apenas a risada louca e o grito de socorro de Bruno ecoar pelo sótão vazio.