Contos Minilua: A boneca dos sonhos #217

Pois é, e para participar, não tem mistério. Para tal, envie o seu texto para: [email protected]! A todos, uma excelente leitura!




A boneca dos sonhos




Por: Magali Melo

Era tarde da noite… Na verdade já era madrugada. Dia comum como os outros, com um pouco de chuva. Estava sem sono, achei melhor ir à cozinha preparar um chá e ler um livro para ver se o sono aparecia. Afinal moro sozinho.

Enquanto bebia o chá e lia, pensei ter ouvido um barulho no sótão, pensei: “tomara que não seja uma telha quebrada novamente!” Me levantei e subi até lá com uma lanterna. Olhei por todo o lugar e parecia tudo em ordem, então, quando fui descer de lá, alguma força misteriosa fechou a entrada e a trancou por fora. Entrei em pânico e não sabia o que fazer, ainda para o meu azar, a lanterna de algum modo (que não tenho a mínima ideia de como) se apagou. Pensei: “E agora? Deve haver alguma vela e fósforos por aqui…” Comecei a procurar ambos então.

Enquanto vasculhava o sótão… Ouvi uma batida na janela. Me virei e olhei para ela e: “Maldito corvo!” Um corvo havia batido seu bico no vidro da janela em busca de abrigo da chuva e a abriu. Isso me assustou muito. “Como um corvo pode abrir uma janela com apenas uma bicada?” Disse eu. Fechei-a novamente e quando me virei… Havia uma boneca de pano atrás de mim naquele chão de madeira me observando!

Tentei gritar, mas a voz não saiu! Ela era horrível! Suja, feia, olhos de botão, mal costurada e parecia que estava viva! Pensei: “Deixe disso! Que bobagem!” Voltei-me para a porta do sótão com uma vela na mão e estranhamente, a porta, desta vez estava aberta, mas estava tão abalado com aquela boneca que nem reparei. No momento em que a vi, entrei em uma profunda tristeza. Como se naquele rosto mal costurado estivesse presente toda a tristeza do mundo.

Me senti mal, chorei, comecei a ouvir vozes repetitivas na minha cabeça, que me mandavam acabar com a minha vida ali mesmo, comecei a lembrar de todas as coisas horríveis que aconteceram na minha vida, lembrei-me de quando perdi meus pais e julguei ser minha culpa, lembrei-me de quando minha esposa morreu e pensei: “É tudo culpa minha! Eu não mereço viver!

Eu tenho que morrer”. Tranquei-me no banheiro, olhei-me no espelho e pensei: “Devo estar ficando maluco”. Abaixei a cabeça, molhei o rosto e fiquei com os olhos fechados por um momento, quando voltei e olhei para o espelho novamente… Lá estava ela! Olhei para o espelho e lá estava o reflexo dela! Gritei: “Me deixe em paz! Saia daqui!” Saí correndo por todos os lados da minha casa, mas ela estava em toda parte! Rindo e zombando de mim, me fazendo lembrar do passado e dizendo para eu me matar.

Desisti! Caí no chão e fechei os olhos. Senti o chão tremer, olhei em volta e ele rachou e eu caí… Comecei a gritar e quando olhei para baixo, vi um rio de fogo… Estaria eu indo para o inferno? Não sabia eu… Só sabia que era ela! Era ele de novo! Estava me puxando para baixo naquele rio de fogo. Criatura das trevas! Tentei lutar, mas não consegui! Caí…

Entrei naquele rio de fogo. Mas por um instante, tudo escureceu… E acordei! Olhei para o lado… lá estava minha xícara de chá, meu livro sobre meu colo, estava eu deitado no sofá, olhando a chuva cair na janela… e aí caí na real… Foi tudo um sonho…

Reaja! Comente!
  1. Ione Vitória

    8 de dezembro de 2015 em 17:29

    Meio fraquinha

  2. Carlos Custodio

    29 de outubro de 2014 em 23:07

    Que conto sinistro, me lembro quando era criança e assistia a filmes terríveis do SBT

  3. Marcelo Afonso

    23 de outubro de 2014 em 23:57

    Só um sonho? UM PESADELO!!!

  4. Luís Felipe

    21 de outubro de 2014 em 22:31

    Sótão e corvo. No Brasil essas coisas são mais raras q político q n mente. Tenho a leve impressão de q o autor anda assistindo filmes americanos demais.

    • Magali Melo

      4 de novembro de 2014 em 21:00

      kkkkkkk verdade cara… ñ tinha pensado nisso

  5. Litzen Vampiro

    21 de outubro de 2014 em 19:30

    Ficou legal, mas poderia desenvolver mais a história e por mais detalhes, uma pena os contos atuais estarem tão curtinhos…

  6. Comentarista

    21 de outubro de 2014 em 14:04

    Essa boneca não é de Deus. Hehe. Lembro que minha irmã tinha um monte de bonecas quando pequena e eu ficava esfregando minha piroka na cara delas. Hehe.

    • Adriano Saadeh

      23 de outubro de 2014 em 13:34

      kkkkkkkkkkkkkkkkk
      que coisa não

  7. Blue

    21 de outubro de 2014 em 02:38

    Ficou bom, mas poderia ficar melhor,algumas dicas:

    1. Tente incorporar mais sentimentos de maneira mais forte, pense no personagem como uma pessoa, descreva o que o personagem sente naquele momento (medo, desespero, etc) sem medo de exagerar, mostre a alma do personagem e tente fazer o leitor se sentir na pele dele.

    2. Descreva mais,como é a boneca? como é a casa? como é a pessoa? o que está acontecendo?

    3. Deixe os clichês de lado, deixe sua imaginação fluir, exagere o quanto for necessário, mas não apele pros clichês, eles não são seus amigos, a imaginação é a melhor amiga de um escritor,exemplo: “[…] o corredor ficou mais longo, enquanto eu tentava correr, as luzes iam se apagando e a porta fugia de mim, até que tudo mergulhou numa escuridão sem fim, com gritos de agonia e sofrimento em minha volta, com algo me puxando e sussurrando, como se a escuridão estivesse tentando manipular minha mente, milhares de vozes implorando por piedade, e eu seria apenas mais uma, enquanto minhas lágrimas iam ficando pelo caminho e minha alma mergulhava cada vez mais fundo na escuridão eterna.” fica bem melhor do que “rio de fogo”

    • Magali Melo

      4 de novembro de 2014 em 20:59

      bom, antes de qualquer coisa… obrigada pelas dicas, mas é que esse é meu primeiro conto… mas os outros eu estou melhorando… 😉 vlw cara

    • Diabo

      22 de outubro de 2014 em 18:49

      ai, vc já mandou algum conto pra cá?

  8. Terrorista

    20 de outubro de 2014 em 23:48

    Eu acho que as pessoas que enviam os contos tiram criatividade do cu.

    • Vinicius de Oliveira

      21 de outubro de 2014 em 21:20

      nergal o treteiro

    • Lucas

      20 de outubro de 2014 em 23:59

      Bela critica social…

      • Terrorista

        21 de outubro de 2014 em 00:08

        Você parece desanimado, garoto. Lembro que antes você estava BEM mais animado. O que houve?

        • Lucas

          21 de outubro de 2014 em 00:15

          Por incrível que parece, eu sinto um pouco de saudades do pessoal do xat, e também o Minilua está bem parado..

          • Ichigo Hollow

            14 de novembro de 2014 em 22:30

            haha

          • Terrorista

            21 de outubro de 2014 em 00:41

            E por que não volta pros xats? Ainda tem aquele xat dos tapados dos cavaleiros do zodiaco.

            • Lucas

              21 de outubro de 2014 em 00:45

              Aquele xat é muito chato…

              • Terrorista

                21 de outubro de 2014 em 00:49

                Bah, tem o calzonee e o chat do minilua, mas também são chatos. Mas deve ter outros xats por aí, que eu não faço a mínima ideia.

                • Vinicius Passos

                  21 de outubro de 2014 em 20:11

                  KKKKKKKKKKKKK´ Se alguém fizer um chat me convida.

  9. meu nome é um grande texto e não faz sentido, no qual eu falo sobre minha vida, tanto do passado como do presente e ainda falo sobre o futuro, porem não falo apenas de mim, mas de todos ao meu redor incluse sobre os meus futores amigos aqui do minilu

    20 de outubro de 2014 em 23:20

    por: Magali Melo pinto

  10. Vinicius Passos

    20 de outubro de 2014 em 23:16

    Me parece ser uma escritora jovem, tem que melhorar pq ela não conseguiu amedrontar. Deixar a imaginação fluir é o melhor a se fazer, esquece esses clichês de sótão, criaturas que fecham portar e corvos.

    • Magali Melo

      4 de novembro de 2014 em 21:01

      estou tentando melhorar os próximos… (y)

    • Ruth Borges

      22 de outubro de 2014 em 10:12

      A “escritora jovem” é o Jeff.
      kkkkkkkkkkkkk

      • Vinicius Passos

        23 de outubro de 2014 em 00:23

        Então ele ta usando o pseudônimo Magali rsrsrsrs

        • Ruth Borges

          23 de outubro de 2014 em 09:23

          Eu lembro de ter me corrigido depois ..
          Então o meu 2º comentário não foi enviado. O.o

      • Ruth Borges

        22 de outubro de 2014 em 10:14

        ops, erro meu!

  11. Raul Seixas

    20 de outubro de 2014 em 23:04

    Jeff,se eu mandar uma tradução de uma creepypasta será considerada para ser postada?

    • Jeff Dantas

      20 de outubro de 2014 em 23:08

      Depende, eh preciso que você faça um textinho, pelo menos! 🙂

  12. Raul Seixas

    20 de outubro de 2014 em 23:03

    Só aqui que deu um Bug do milênio? achei que os comentários haviam sido deletados todos T.T

  13. Lucas

    20 de outubro de 2014 em 23:01

    Conto curto, simples, mas legal…

  14. cara anonimo

    20 de outubro de 2014 em 22:51

    Eu não sei o que dá mais medo, se é esse conto ou essa boneca da Img 1 ._.

    • Adriano Saadeh

      23 de outubro de 2014 em 13:34

      Pensei o mesmo, aquela imagem é bem perturbadora mesmo

    • Jeff Dantas

      20 de outubro de 2014 em 22:55

      Ah..pensando bem, até que eh simpática! hauahahaha

    • Jeff Dantas

      20 de outubro de 2014 em 22:54

      E lembrando, quem quiser, pode mandar matéria tb… 🙂

      • cara anonimo

        20 de outubro de 2014 em 23:00

        Vou mandar uma Creepypasta para o ML, vou ver se mando nessa semana ou se mando no dia 31 😛 ( acho melhor mandar essa semana ou semana que vem, pois a creppy não é lá essas coisas ).

37 Comentários
Topo