Coisas estranhas que fizeram com cadáveres #4

Quando morrermos, algumas lágrimas podem ser derramadas sobre os nossos corpos. Dentro de alguns dias, provavelmente seríamos enterrados ou cremados, nossa forma física reduzida a uma mera lembrança. Mas alguns de nós continuarão em nossas aventuras…

Essa nova série consta com uma coleção de histórias sobre cadáveres que evitaram tradições.




Beijo de Samuel Pepys

0716

Samuel Pepys é um nome que você pode reconhecer a partir de aulas de história. Ele era um membro do parlamento e administrador naval, mas ele é mais lembrado por seu diário cheio de informações, o que nos dá uma importante fonte no período da Reforma Inglesa. No entanto, junto com detalhamento de eventos como pragas e incêndios, o diário também oferece um vislumbre da vida social de Pepys, incluindo detalhes da ligação com a sua amante.

Talvez o detalhe mais bizarro tenha acontecido em 23 de fevereiro de 1669, quando Pepys e sua família visitaram a Abadia de Westminster, por ocasião do seu 36º aniversário. Lê-se no diário,  “Portanto, eu agora em Abadia de Westminster, visitei o cemitério da cidade e encontrei o túmulo da rainha Catherine de Valois e peguei seu corpo nas mãos e a beijei na boca, já que era meu aniversário quis beijar a rainha.”,

Catherine de Valois foi a esposa de Henry V. Ela morreu em 1437 com 35 anos, logo após o parto. Ela tinha sido morta há mais de 230 anos antes dos avanços românticos de Pepys.

Reaja! Comente!
  1. VanDrak SubZero

    16 de abril de 2015 em 14:08

    hmmmmm… já sei de quem o Jeff herdou os fetiches :p

  2. Evandro Moreira Dos Santos

    28 de fevereiro de 2015 em 21:03

    Não vou comentar nada.

  3. Kaique Santos

    5 de fevereiro de 2015 em 11:05

    Mamãe sempre disse que quem cala consente.
    -Pepys Samuel

  4. Gabriel Frigini

    4 de fevereiro de 2015 em 21:07

    credo

  5. Blue

    4 de fevereiro de 2015 em 20:33

    Agora me bateu uma dúvida meio estranha, necrofilia é estupro? O cadáver não quer transar, a pessoa que vai transar com o cadáver está fazendo isso contra a vontade do morto, mas o morto também não pode dizer não, nem sim, e agora?

    • chapolim do mal

      5 de fevereiro de 2015 em 09:54

      Também não dá pra saber se o cadáver não quer.

  6. Miles Prower

    4 de fevereiro de 2015 em 14:20

    “É meu aniversário mesmo, foda-se!”
    Pepys, Samuel

  7. Dark_Scorpion

    4 de fevereiro de 2015 em 08:40

    Esses fetiches de hoje em dia… A cada dia que passa eles pioram. Beijar um cadáver de 230 anos não é pra qualquer um né…

  8. Blue

    4 de fevereiro de 2015 em 06:17

    Pelo menos foi só um beijo… né?

  9. Jeff Dantas

    3 de fevereiro de 2015 em 23:10

    Ai, meu deussss! Isso q eu chamo de uma bela testa… hahahaah http://luadesangue.com/wp-content/uploads/2015/02/0716.jpg

    • chapolim do mal

      4 de fevereiro de 2015 em 10:09

      Parece que ela está com um fone de ouvido.

      • Guilherme Paulo (GPSA)

        4 de fevereiro de 2015 em 10:44

        Parece que ela é careca também. Ou os fones deveriam ser o cabelo?

    • Guilherme Paulo (GPSA)

      4 de fevereiro de 2015 em 07:25

      Isso é porque tu não viu a minha. Eu devia cobrar pra colocar propaganda nela de tão grande.

  10. Greg

    3 de fevereiro de 2015 em 22:24

    Nosssa que cara apaixonado….

  11. Dahmer

    3 de fevereiro de 2015 em 22:17

    Depois daquela lei do Egito de poder transar com a mulher 6 horas depois dela morrer, um beijo não é muita coisa.

    http://www.dailymail.co.uk/news/article-2135434/Egypts-plans-farewell-intercourse-law-husbands-sex-DEAD-wives-branded-completely-false.html

    • Guilherme Paulo (GPSA)

      4 de fevereiro de 2015 em 10:43

      Isso só comprova uma coisa: tem fetiche pra tudo.

  12. chapolim do mal

    3 de fevereiro de 2015 em 22:04

    Não sei se é por que é sobre a realeza ou por ele beijar um esqueleto mas sei que esse foi o melhor post desse título, talvez por eu ser um apaixonado por história.

    • Mutley

      3 de fevereiro de 2015 em 23:04

      Eu achei interessante a parte do diário , acho que os ”incêndios” , se refere ao grande incêndio de Londres , que ocorreu por essa época , ou pode ser um DOS incêndios ,a praga também , uma doença que se beneficiou em grande parte , pela falta de higiene de sua população , muito pela ignorância do povo que tinha poucas informações.

    • Greg

      3 de fevereiro de 2015 em 22:23

      Faria algo parecido com algum defunto .kk

      • Jeff Dantas

        3 de fevereiro de 2015 em 23:10

        Nãooooooooo! Não sabia desse seu lado fetichista… 🙂 hahahahahaha

21 Comentários
Topo