Lendas urbanas que irão te assustar

Vamos ver exemplos de contos que milhões de pessoas cresceram ouvindo, e mesmo se você realmente não acredita neles, é difícil tirá-los da cabeça.




Pinky Pinky

pinkypinky

A história de Pinky Pinky é uma lenda urbana e conto da carochinha em um só. Em 1994, surgiram estórias sobre um monstro que aguarda meninas nos banheiros das escolas da África do Sul. As meninas foram avisadas ​​por seus amigos para não usarem rosa na escola, porque isso irritaria a criatura, que, então, tentaria atacar ou até mesmo estuprá-las.

A histeria cresceu e avistamentos do monstro, chamado Pinky Pinky, foram relatados em muitas escolas em todo o país. Foi dito que se assemelhava a um Tokoloshe (uma criatura mítica Africana) e tinha uma pata e uma garra. Meninos não podiam ver a criatura, mas alguns afirmaram ter sido atacados por ele e saíram arranhados e machucados. Naturalmente, não existe nenhuma prova sólida do monstro.

Ninguém sabe ao certo o que motivou o conto Pinky Pinky. Tem sido sugerido que ele era uma encarnação do medo que as meninas tinham de ir para banheiros da escola sozinhas em uma sociedade onde os casos de estupro e outros abusos sexuais eram (e ainda são) muito prevalentes.

Pinky Pinky parece ter ido embora, e apenas um ou dois avistamentos ainda foram relatados como o passar dos anos. Vários livros e uma exposição de arte têm sido dedicados à história. Hoje é apenas uma história assustadora que aqueles que iam para a escola primária na África do Sul na década de 1990 pode lembrar.




Cadáveres com olhos abertos

coin-eyes

Já foi popularmente acreditado que se uma pessoa morresse e seus olhos permanecessem abertos, eles estavam procurando alguém para levar com eles para o seu destino final. Geralmente seria alguém na família da pessoa falecida. Para impedir que isto acontecesse, os britânicos fechavam os olhos das pessoas mortas e colocavam duas moedas nas pálpebras para evitar que os olhos se abrissem novamente. Na mitologia grega, a moeda era colocada na boca do falecido para pagar o barqueiro que levaria sua alma através do rio.

Em épocas anteriores, também acreditava-se que se uma pessoa morresse e seus olhos ficassem abertos, seria obra de que espíritos malignos não iriam deixá-lo descansar ou um sinal de que quem morreu deixou a vida insatisfeito.

Em uma pequena aldeia no nordeste da Namíbia, um cadáver parou seu próprio funeral, porque ele se recusou a manter os olhos fechados. O homem, que estava em seus oitenta anos, teve uma longa e arrastada doença antes de finalmente falecer. Quando seus parentes se reuniram no necrotério para preparar seu corpo para o funeral, eles ficaram chocados ao vê-lo piscar várias vezes.

Depois de pedir o conselho de um curandeiro tradicional, a família decidiu enterrar o homem em um cobertor e não um caixão.

Reaja! Comente!
  1. Welling Well

    15 de abril de 2015 em 23:52

    muito fraco esse conto

  2. Bruno Mathias

    14 de outubro de 2014 em 19:28

    vendo esse do enterro qui lembrei de uma coisa que aconteceu em minha vida que gostaria de compartilhar com vcs ja trabalhei de assistente de tanatoplaxista de fato mesmo depois de morto sai muito sangue aaaah cara tempos doidos, o chero da morte é mesmo muito ruim no meu primeiro dia tivemos que retirar uma mulher que havia falecido ela era desconhecida pela sociedade e pesava mais ou menos ums 135 kilos causa da morte assassinato a facadas estava deitada na mesa no primeiro dia nao tinha muita ideia de uniforme entao como ignorante que fui acabei por ir com uma camisa branca quando puxamos ela, seu corpo bateu na mesa cheia de sangue que jorrou em cima de mim foi horriveu mais depois de um tempo acabei me acostumando com sangue tripas e orgaos cabelos grudados etc la no frigorifico como nós chamava-mos ficava ao lado da delegacia de policia em sorocaba o necroterio diferente do que as pessoas veem na tv por exemplo em filmes quando a pessoa é colocada em cima da mesa de aço inox e é colocado um manto por cima naaao isso nao existe na primeira ves que fui pra buscar o corpo parecia mais com um frigorifico mesmo era muita gente morta abertas em cima das mesas e os utensilhos serras agulhas gigantes todas ensanguentadas em primeira estancia queria sair dali vomitar o pior o cara que cortava elas era um velho friooo ele me olhava como se eu fosse apenas um pedaço de carne sem vida no primeiro dia quando entrei la ele me olhou nos olhos e me disse:
    —- tudo bem com vc viu nao prescisa ter medo rapaz quando morrer vc sera apenas isso mesmo vamo me ajuda aqui
    jamais esqueci o que aquele velho me disse o cheiro era desagradaveu nao era como podre era como um cheiro doce um cheiro de sabao misturado com remedios e sangue urina era horriveu fiquei nesse ramo durante 3 meses depois tive que sair por começar a ficar depressivo nao queria mais voutar la nunca mais esqueci a cara daquele velho ainda vejo ele as vezes comprando carne no açougue do lado do mercadao aqui em sorocaba o engraçado é que antes de sair no ultimo dia ele me falou pra ir devagar como moto e tomar muito cuidado nas ruas porque se nao era pra la que eu iria … gostou da historia ??? só tem um problema nao é apenas uma historia jamais vou esquecer aquele velho maluco nao quero nunca mais voutar la ….

  3. Bruno Mathias

    14 de outubro de 2014 em 18:48

    gostei achei bem legal mais acho que deveria ter mais

  4. Fernanda Baptista

    5 de outubro de 2014 em 15:10

    Achei interessante essa teoria de como surgiu a história do tal Pinky Pinky, e triste também. É como se fosse uma forma das crianças tentarem entender uma realidade cruel. Quem dera a ameaça fosse a criatura e não pessoas de carne e osso, seria mais tenso, mas pelo menos aí era só evitar uma cor e pronto…

  5. Lucas Vinicius

    30 de setembro de 2014 em 21:23

    Só isso? Que Bosta
    [img]http://imageshack.com/f/ipaYNswbp[/img]

  6. André Cardoso

    30 de setembro de 2014 em 19:10

    no primeiro conto deu medo do ESTORIAS KKKK

  7. Verônica

    30 de setembro de 2014 em 16:57

    Antigamente, era costume colocar uma vela acesa na mão do suposto indivíduo que viesse a morrer, para que este não ficasse na “escuridão”.

  8. Eduardo Simões

    30 de setembro de 2014 em 15:43

    Sempre tem algo no banheiro, na minha época era a loira do banheiro, talvez os maus cheiros provenientes dos peidos e outros atraiam os monstros!!!

  9. VanDrak SubZero

    30 de setembro de 2014 em 14:55

    Queria ter visto a reação da família do morto que piscava XD
    aushuashuahsuah

  10. Joseph Cluckers

    30 de setembro de 2014 em 10:16

    ptz nem começo a ler e já tem comentários estragando
    http://i.imgur.com/1f5wQ1H.png

    • Mutley

      30 de setembro de 2014 em 13:04

      E aquela aba do Redtube ali em cima hein jovem ? :3

      • chapolim do mal

        30 de setembro de 2014 em 18:29

        Onde?

        • Mutley

          30 de setembro de 2014 em 20:16

          Zueira! caro peregrino …

      • Mutley

        30 de setembro de 2014 em 13:30

        Gelou agora né ? huehuehuehuehuehue

  11. Adriano Saadeh

    30 de setembro de 2014 em 10:10

    Os das moedas é bem tri saber toda a teoria de como a lenda ganhou vida!

  12. Deimos Santo

    29 de setembro de 2014 em 21:18

    SIGAM A @EQUIPECHAVOSOS NO INSTAGRAM E CURTAM /EQUIPECHAVOSOS NO FACEBOOK!!

    • DCemblemático

      30 de setembro de 2014 em 05:35

      Não, mas valeu he-he-he

    • Raul Seixas

      29 de setembro de 2014 em 22:36

      siga a @louça suja na pia da sua casa e curta o /detergente

    • Fantasma Renegado

      29 de setembro de 2014 em 22:35

      Não!

    • cara anonimo

      29 de setembro de 2014 em 21:20

      Não, obrigado.

  13. Josh Giovanni

    29 de setembro de 2014 em 20:53

    Eu lendo sobre o “Pinky Pinky” e só lembrando dessas imagens…

    [img]http://4.bp.blogspot.com/_bVCnQ_IM6mU/S8Nj3G12pDI/AAAAAAAAHY4/ByNVLRnhYh4/s1600/pedobear_seal.png[/img]

    [img]http://media-cache-ec0.pinimg.com/236x/3e/b9/4d/3eb94d7c0ff07c7c9569ae3fdc0b2d24.jpg[/img]

    Estudante que escapou do Pinky Pinky:

    [img]http://img.myconfinedspace.com/wp-content/uploads/2008/04/dead-pedo-bear1-500×321.jpg[/img]

  14. cara anonimo

    29 de setembro de 2014 em 20:27

    Assistir “Coragem, o cão covarde” da mais medo que esse contos e.e

    • Rafael Marx

      30 de setembro de 2014 em 18:29

      desenho inesquecível sempre gostei dele

    • Adriano Saadeh

      30 de setembro de 2014 em 10:12

      Desenhos como esse são os meus favoritos, gostava da vida moderna de rocko também

    • Greg

      29 de setembro de 2014 em 22:01

      Esse desenho é legal.;;;

  15. Jeff Dantas

    29 de setembro de 2014 em 20:25

    Mas que ser atentadooooo! Como se atreve a postar contos? hauahahahahahahaah

    • DCemblemático

      29 de setembro de 2014 em 20:31

      Brigas de moderadores aeeee he-he-he

      • Kratosm4niaco ÷=÷

        30 de setembro de 2014 em 12:03

        Briga briga briga briga de lobriga lol.

  16. DCemblemático

    29 de setembro de 2014 em 19:54

    Uma coisa assustadora e quando tu acorda de madrugada ai vai no banheiro rápido e sai do banheiro mais rápido ainda porque parece que tem alguma criatura atrás de você kkk he-he-he

    • Mutley

      30 de setembro de 2014 em 13:02

      Depois que li sobre o Slenderman eu nem olho mais pra trás ‘-‘
      O pior é você ficar olhando pra janela naquela breu do caramba, ai do nada se move alguma coisa …

    • chapolim do mal

      29 de setembro de 2014 em 20:29

      Assustador mesmo é acordar e se olhar no espelho, ai sim é susto.

    • meu nome é um grande texto e não faz sentido, no qual eu falo sobre minha vida, tanto do passado como do presente e ainda falo sobre o futuro, porem não falo apenas de mim, mas de todos ao meu redor incluse sobre os meus futores amigos aqui do minilu

      29 de setembro de 2014 em 20:20

      medo dá quando o shampoo cai nos olhos, e vc luta contra aquela dor com medo.

    • Yago (Pão)

      29 de setembro de 2014 em 20:02

      Sempre que eu saiu do quarto na noite eu acendo todas as luzes da casa e faço sinal da cruz 5 vezes ta ligado?

    • Fantasma Renegado

      29 de setembro de 2014 em 19:57

      Quando parece ter uma criatura é bom, o ruim é quando realmente tem uma criatura (minha irmã kkkkkkkkk).

  17. Raul Seixas

    29 de setembro de 2014 em 19:51

    Não sei como explicar o terror que senti quando caminhei de volta para o meu carro no estacionamento lotado da mercearia, e vi uma mulher, ensanguentada, amarrada e amordaçada, deitada no banco de trás.
    Eu podia jurar que a tinha colocado no porta-malas.

    • Emmanov Kozövisck

      29 de setembro de 2014 em 21:26

      Criminoso com Alzheimer…

    • Eddye Uchôa

      29 de setembro de 2014 em 20:44

      KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    • Fantasma Renegado

      29 de setembro de 2014 em 19:56

      Caramba, véi, tu esqueceu de colocar a defunta no porta-malas? Que burrice ahahahaha

      [img]http://2.bp.blogspot.com/-4LC7TEA5Mf8/UrS7XlRfH4I/AAAAAAAAAYY/OCXFHmJHV7E/s400/1535562_277576325725007_1260864459_n.jpg[/img]

  18. eduardo (eduh)

    29 de setembro de 2014 em 19:38

    esse moderador novo só faz matéria boa, pena que são curtas demais,demais mesmo.

    • Reinaldo

      29 de setembro de 2014 em 23:18

      É pra deixar o gostinho de quero mais hahaha Valeu pelo apoio!!

  19. Wagner

    29 de setembro de 2014 em 19:33

    Proposta legal, mas esses aí foram fracos.

    • chapolim do mal

      30 de setembro de 2014 em 11:04

      Na África do Sul isso deve dar um medo do caramba.

      • Cristiano Angnes

        30 de setembro de 2014 em 11:13

        qualquer coisa envolvendo estrupo na africa da medo se é q vcs me entendem

    • Terrorista

      29 de setembro de 2014 em 21:59

      Olá Waguinho, concordo. O post serve mais para mostrar os contos assustadores que existem nas culturas, não significa que vão nos assustar.

      • Wagner

        30 de setembro de 2014 em 16:31

        …”que irão te assustar”.

        • Terrorista

          30 de setembro de 2014 em 22:09

          OLHA, EU QUIS DIZER QUE O POST SERVIU MAIS PARA MOSTRAR ESSAS LENDAS URBANAS MAS NÃO QUE ELAS ASSUSTAM, O QUE FOI CONTRA A PROPOSTA DO TÍTULO DO ARTIGO.
          PARECE QUE NÃO ENTENDE AS COISAS.

      • Kratosm4niaco ÷=÷

        30 de setembro de 2014 em 12:05

        Vc não leu o titulo né!

      • Kratosm4niaco ÷=÷

        30 de setembro de 2014 em 12:02

        Nergal falando no dimiuitivo, essa cena rara merece um print!

  20. Fantasma Renegado

    29 de setembro de 2014 em 19:26

    Legal, mas não sou muito de ler contos de terror, não é nem por medo, é só porque não curto mesmo.
    Acho que a única história de terror que eu “vivi”, foi a velha e conhecida lenda da Loira do Banheiro, essa é clássica e eu realmente fiquei com medo quando estava na primeira série. Uma mina foi ao banheiro e voltou com um corte na mão dizendo que tinha sido a Loira, eu fiquei com um medo da poha e passei um tempão acreditando ahahahahahaha
    Hoje em dia eu acho que os moleque tenta evocar a Loira é pra tentar dar uns pegas nela xD

    • chapolim do mal

      29 de setembro de 2014 em 19:28

      KKKKK poxa que secura hein.

      • Fantasma Renegado

        29 de setembro de 2014 em 19:40

        Pode crer, véi. Os moleque tão seco mesmo xD

        [img]http://www.conectandoweb.com.br/baratonta/imagens/koto1.jpg[/img]
        [img]http://tenso.blog.br/wp-content/2012/03/real_hein.jpg[/img]

  21. chapolim do mal

    29 de setembro de 2014 em 19:26

    Contos que vão te assustar kkkkk não mesmo! Assustador mesmo era quando eu era criança e minhas primas mais velhas ficavam me assustando com estórias da maria sangrenta.

    • Catz Béh

      30 de setembro de 2014 em 16:02

      Sério? Eu achei a história do pinky pinky assustadora, não no sentido de levar sustos, mas de ficar perplexa com a crueldade humana. Abusar de uma criança é algo simplesmente abominável, e o povo colocava a culpa em mitos em vez de punir os agressores.

    • Eddye Uchôa

      29 de setembro de 2014 em 20:43

      pinky pinky eh moda, maria sangrenta eh foda

55 Comentários
Topo